Sucesso no primeiro semestre, São Paulo quer resgatar ‘Clube da Fé’

O São Paulo aguarda o fim do ano para resgatar as campanhas envolvendo ‘Clube da Fé’, antigo apelido do clube, usado em campanha em mídias sociais antes e depois da sofrida vitória sobre o Atlético-MG que classificou o time às oitavas de final da Copa Libertadores, em abril deste ano. Agora, o departamento de marketing aguarda o fim de outras iniciativas para reativar a campanha que deu certo no primeiro semestre.

Agora, a diretoria são-paulina explica que tem de aguardar o fim das últimas ações para poder retomar os projetos com o Clube da Fé. Nos últimos tempos, o clube lançou camisas e promoveu diferentes campanhas nas redes sociais: primeiro, a ‘3Cores1SóTorcida’, como foi denominada a promoção de ingressos, que chegaram a custar R$ 2 para sócios-torcedores; depois, promoveu a volta de Muricy Ramalho com ‘Aqui é trabalho’. Por último, lançou a ‘Segura o Boi’, que brinca com as voadoras de Aloísio, conhecido como Boi Bandido, que caiu nas graças do torcedor.

O São Paulo pretendia intensificar o ‘Clube da Fé’,  mas não teve como fazê-lo, pois logo depois do lançamento e da classificação à próxima fase, o time foi eliminado pelo mesmo Atlético-MG nas oitavas de final. Mesmo sem camisas lançadas, a campanha foi a que mais movimentou os trabalhos do clube nas redes sociais.

O departamento de comunicação adotou o apelido do clube em todos os comunicados de texto e vídeo no site do clube. Houve criação de imagens personalizadas – o clube passou a tretratar todos os jogadores com auréolas sobre as cabeças – e divulgação nas redes sociais. Os torcedores foram incentivados a “decorar” as fotos de perfil em redes como o Twitter e o Facebook com o layout do Clube da Fé. Por tudo isso, acredita que esta é a iniciativa com maior potencial.

Clube da Fé foi um dos primeiros apelidos que o São Paulo ganhou. Foi criado pelo jornalista Thomaz Mazzoni, em 1937, dois anos após a nova fundação do clube. O nome foi usado por conta das dificuldades que o São Paulo teve para se manter nos dois primeiros anos após ressurgir.

Quando foi readotado pelo marketing, em abril, o São Paulo corria sério risco de ser eliminado na fase de grupos da Libertadores, ainda sob o comando de Ney Franco. O time precisava contar com um tropeço do Strongest (BOL) contra o Arsenal de Sarandí (ARG) e tinha a necessidade de bater o Atlético-MG – melhor time da primeira fase – no Morumbi. As duas situações aconteceram, e o time passou às oitavas.

Na ocasião, até o goleiro Rogério Ceni comprou a ideia do marketing. O goleiro, que marcou um gol de pênalti na partida, disse após o jogo que “conversou com Deus” ao caminhar de sua área até a área adversária. A ideia era aliar a declaração ao conceito da Fé que levava o apelido utilizado. As ações para ocasiões futuras só não prosseguiram por conta da eliminação nas oitavas.

Neste momento, o marketing do clube vê a postura otimista do torcedor com boa aceitação à campanha que já deu certo neste ano. O São Paulo passou quase dois meses na zona de rebaixamento do Brasileirão, se recuperou com Muricy Ramalho e agora tem a chance de fechar o ano com o título da Copa Sul-Americana e brigando na parte de cima da tabela do campeonato nacional, como chance de classificação à Copa Libertadores de 2014.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*