Waldir Albieri

Gestão de pessoas

Em tempos de economia globalizada, cada vez mais as empresas têm investido na formação de profissionais especializados em gestão de pessoas, viés esse que é tão, ou até mais importante que o conhecimento técnico de um negócio.

No futebol, modernamente, deu-se a esse nível de gestão, o apelido de “administração do vestiário”. Sendo assim e como comprovam recentes exemplos, já do conhecimento de todo torcedor, não basta a um treinador e sua equipe – sim, hoje os treinadores são parte do que se convencionou chamar de comissão técnica – deter somente o conhecimento técnico.

Além de treinar e de planejar taticamente a equipe, dotando-a do condicionamento físico indispensável para suportar os noventa minutos, a gestão de pessoas adquiriu uma extrema relevância, passando a ser item fundamental, decisivo mesmo para o sucesso de uma equipe.

Grandes craques do passado, como foram os casos de Leônidas, de Mestre Zizinho, ou mais recentemente, de Roberto Rivelino, não fizeram sucesso como treinadores, porque não eram dotados dessa qualidade, muitas vezes até inata, de ser um bom gestor de pessoas, haja vista que, cada uma delas, apresenta egos, condições emocionais, ambições e crises existenciais diferentes.

Vencidas essas considerações preliminares, vou direto ao fulcro da minha tese: o sucesso da nossa equipe no atual campeonato, é decorrente, eu não tenho a menor dúvida, da boa gestão do vestiário. Os mais atentos, podem perceber isso, claramente, nas entrevistas concedidas pelos jogadores. De fato, o grupo está unido. Não se trata de mero discurso, mas de efetiva constatação.

A fogueira de vaidades, a deformação de personalidades, os desvios de egos e as ambições pessoais despropositadas, parecem, estão ficando do lado de fora do nosso vestiário. A saída de cena dos chamados “cartolas”, também contribuiu para esse sucesso. Mérito para Raí & Cia Ltda. A equipe do Aguirre, também e sem dúvida, é competente e consegue extrair do grupo, a motivação indispensável para traduzir em campo todo o empenho e dedicação ambicionados pela torcida.

Concluindo, penso que o sucesso da equipe nesse Campeonato Brasileiro, deve-se muito mais à eficiência da gestão de pessoas – “gestão do vestiário” – que mesmo à qualidade técnica dos jogadores, cujo nível, é patente, se equivale ao de, pelo menos, umas dez, das vinte equipes que disputam o campeonato.

7 comentários em “Waldir Albieri

  1. Prezado Waldir,

    O seu texto é real. Hoje (24/09) fiz alguns comentários à respeito. Acredito que essa nova gestão tem mostrado eficiência, pois estão tirando leite de pedras do nosso plantel, que além de torto é escasso. Num futuro próximo outros clubes terão gestões semelhantes. Precisamos pressionar nossos sócios-votantes a extirpar do nosso clube os filhotes do pernicioso JJ.
    Parabéns. Belo texto.

  2. Prezado Waldir,

    O seu texto é real. Hoje (24/09) fiz alguns comentários à respeito. Acredito que essa nova gestão tem mostrado eficiência, pois estão tirando leite de pedras do nosso plantel, que além de torto é escasso. Num futuro próximo outros clubes terão gestões semelhantes. Precisamos pressionar nossos sócios-votantes a extirpar do nosso clube os filhotes do pernicioso JJ.

  3. Concordo plenamente. A gestão dos chamados recursos humanos está sendo fundamental na boa campanha da equipe.

    Waldir, há uma coisa que todos nós precisamos atentar. Como diz o dito popular, uma andorinha não faz verão. Não acredito que Raí sozinho teria dado conta do recado. A pressão e a cobrança são muito grandes.

    A grande inovação que essa diretoria trouxe não se resume ao fato de que quem está lá realmente entende de futebol. Mas também por ser uma liderança partilhada; é a primeira vez que vemos três diretores atuantes. E isso parece-me ser um modelo a ser seguido obrigatoriamente daqui para frente.

  4. Amigo Waldir excelente texto!!!!

    Assim como você entendo que o nosso diferencial é o vestiário, a tempos não tínhamos uma equipe com essa união!!!!!

  5. Quem diria que por essas e outras, apesar de algumas recaídas o Leco pode ficar para a história como um grande Presidente.

    Waldir excelente texto, parabéns.

  6. Olá Waldir,

    Parabéns pelo artigo. Ótimo ponto. Concordo 100% com essa tese.

    Nem todas as medidas de gestão de pessoas são fáceis de se tomar. No nosso caso tivemos que abrir mão de um bom jogador tecnicamente – Cueva, transferido a preço abaixo do mercado – mas cujo comportamento não era positivo para o grupo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*