Flávio Marques

Endividamento do São Paulo F.C. tem tendência de alta

Na matéria publicada em 18 de maio de 2018 no portal Tricolornaweb.com.br, o Diretor Executivo Financeiro do SPFC, Elias Albarello, prometia zerar a dívida bancária do clube até o final de 2019. O fato é que a dívida com instituições financeiras e terceiros aumentou em 2018 e, apesar do clube não publicar balancetes trimestrais ou mensais como fazem outras entidades, existem fortes indícios de que segue aumentando neste ano. Vamos aos dados, sempre na base de 31 de dezembro do ano de referência:

Excluí intencionalmente desta análise as dívidas relativas a Obrigações Tributárias parceladas, pois são efeito de gestões passadas e não afetam as conclusões sobre a atual administração. Também não considero aqui as obrigações trabalhistas, direitos de imagem, tributárias e compromissos com outras entidades esportivas. O foco do artigo é o valor devido a instituições financeiras e os empréstimos tomados de terceiros (pessoa física ou jurídica).

A atual gestão até trabalhou bem nos dois primeiros anos reduzindo as dívidas bancárias e de empréstimos com terceiros, porém em 2018 essa tendência mudou e ocorreu um aumento de R$ 6 milhões nos débitos junto a instituições financeiras, com o agravante que R$ 62 milhões, ou 75% das dívidas bancárias em 31/12/2018, tinham vencimento de curto prazo (contabilizadas no Passivo Circulante).

Ao longo de 2019 várias matérias veiculadas pela imprensa descrevem situações de atrasos no pagamento de direito de imagem e premiações de jogadores, enquanto o clube segue investindo para trazer atletas para reforçar o time. No total contratamos 14 novos jogadores – investindo R$ 103 milhões – alguns de salários bem altos como Tche Tchê, Pato, Hernanes e Daniel Alves entre outros. Aconteceram também melhorias necessárias para que o Morumbi pudesse receber a Copa América, como os novos vestiários, acesso ao campo, iluminação e telões. A própria diretoria divulga um investimento da ordem de R$ 15 milhões este ano na modernização do estádio.

No início de Julho o Conselho Deliberativo foi convocado para aprovar novos empréstimos de diversos bancos (de fato ratificar operações que já haviam sido realizadas). Oficialmente o Diretor Executivo Financeiro divulga novos empréstimos no valor de R$ 18 milhões, mas que ainda pode captar este ano outros R$ 32 milhões em instituições financeiras pois há autorização do Conselho Deliberativo para obtenção de até R$ 50 milhões junto a bancos em 2019.

A recente contratação de Raniel é um caso de empréstimo de terceiros – empresários – que adiantaram ao Cruzeiro o valor de R$ 13 milhões pela transferência, e que serão pagos pelo Tricolor apenas em 2020. Quando anunciamos a contratação de Daniel Alves se dizia que um parceiro bancaria parte dos vencimentos do jogador, mas até o momento não foi apresentado esse parceiro. Qual o interesse de um parceiro se não for a publicidade associada?

O Conselho Deliberativo aprovou ainda a criação de um FIDC – Fundo de Investimento em Direitos Creditórios – por meio do qual a administração espera captar até R$ 37 milhões de novos aportes em 2019. O FIDC é uma modalidade que permite ao Clube captar recursos de investidores (que são empréstimos) a taxas inferiores ao do mercado financeiro, oferecendo em garantia receitas futuras como por exemplo o contrato de pay-per-view.

Se o Clube efetivamente captar os recursos do FIDC, e seguir tomando novos empréstimos já autorizados, a perspectiva é que o endividamento ao final do ano 2019 pode ultrapassar o valor das dívidas no final de 2015, excedendo os R$ 150 milhões. Num país como o Brasil, onde os juros ainda são altos, o ônus de carregar um alto endividamento é muito pesado. No ano de 2018 o São Paulo teve um gasto de quase R$ 17 milhões em despesas financeiras – basicamente juros sobre dívida. Com esse valor poderíamos pagar o salário de um reforço do nível de Daniel Alves por um ano.

Ainda observando os dados das demonstrações financeiras do ano de 2018 vemos que o clube teve receita bruta de R$ 155 milhões em negociações de atletas (R$ 132 milhões após descontadas comissões e participação em direitos econômicos). Em 31/12/2018 tínhamos a receber de “Entidades Esportivas” (Clubes no Brasil e no exterior) o valor de R$ 136 milhões. Em uma análise simples concluímos que vendemos nossos jogadores em suaves parcelas enquanto tomamos empréstimos bancários e pagamos juros altos para financiar o dia a dia das operações.

Esse é o retrato da atual gestão do futebol do São Paulo Futebol Clube. Tomamos empréstimos e investimos alto para montar times que continuam fracassando no campo, pois não aplicamos bem os recursos. Torcendo e esperando a virada do Tricolor.

9 comentários em “Flávio Marques

  1. Nenhum jogador trazido pela atual diretoria se valorizou. Ahh… tem o Pratto, que nos rendeu um pouco além do que pagamos. Fora ele, ninguém. Detalhe: a maioria já saiu. Pratto Trellez Carneiro Régis Diego Souza Nenê Biro-Biro William Farias Bruno Peres Éverton Felipe. E, ao que tudo indica, Léo Pelé e Calazans seguirão o mesmo caminho. É evidente a incompetência no planejamento.

  2. É, Flávio, a vaca indo pro brejo e ninguém se dando conta. Entendo a posição do Leco. Se não ganharmos nenhum título até o final de 2020, ficará marcado como o pior presidente da história do clube. Assim, está gastando o que não tem. Contudo, a conta virá um dia.

    Não bastasse o péssimo aproveitamento do orçamento, o São Paulo também tem sido incapaz de gerar novas receitas. Aí, não tem solução, só endividando mesmo.

    • Nenhum jogador trazido pela atual diretoria se valorizou. Ahh… tem o Pratto, que nos rendeu um pouco além do que pagamos. Fora ele, ninguém. Detalhe: a maioria já saiu. Pratto, Trellez, Carneiro, Régis, Diego Souza, Nenê, Biro-Biro, William Farias, Bruno Peres, Éverton Felipe. E, ao que tudo indica, Léo Pelé e Calazans seguirão o mesmo caminho. É evidente a incompetência no planejamento.

  3. É, Flávio, a vaca indo pro brejo e ninguém se dando conta. Entendo a posição do Leco. Se não ganharmos nenhum título até o final de 2020, ficará marcado como o pior presidente da história do clube. Assim, está gastando o que não tem. Contudo, a conta virá um dia.

    Não bastasse o péssimo aproveitamento do orçamento, o São Paulo também tem sido incapaz de gerar novas receitas. Aí, não tem solução, só endividando mesmo.

    Nenhum jogador trazido pela atual diretoria se valorizou. Ahh… tem o Pratto, que nos rendeu um pouco além do que pagamos. Fora ele, ninguém. Detalhe: a maioria já saiu. Pratto, Trellez, Carneiro, Régis, Diego Souza, Nenê, Biro-Biro, William Farias, Bruno Peres, Éverton Felipe. E, ao que tudo indica, Léo Pelé e Calazans seguirão o mesmo caminho. É evidente a incompetência no planejamento.

  4. Esquecam a virada, e mesmo um continuo afundamento do titanic, infelizmente esse nao tem mais recuperacao, ta todo aparelhado, e pior buscam refugos dos refugos, para reforcar o time. Raniel, 13 milhoes, e piada, melhor ficar com os da base. Calazans, kkk nem vou entrar no merito, a verdade e que nao temos mais craques, quando buscamos um, o anta de plantao o coloca para armar, o nada. My God, que maluco banca um trenero, que nao organiza nada e muito mais, ,desorganiza. Parabens jj & le ku & cia. Destruiram um gigante.

  5. Situação complicada e perigosa exposta pelo amigo Flávio. Mas em contrapartida sem investimento no elenco não há título e nós precisamos de um título.

    O problema é “investir” em jogadores do tipo Everton Felipe, Jean entre muitos outros, caros e sem retorno no campo.

    Vale lembrar que o Everton veio do Flamengo com o empresário dele emprestando o dinheiro para o SPFC pagar a multa… imaginem quantos rolos há no SPFC… nem valores de patrocínio sabemos!!!

    • Exatamente Danilo, esse é o ponto. Gastamos muito, mas mal e por isso fracassamos.
      Apenas Jucilei e Bruno Peres, colocados em disponibilidade e treinando em separado, custam ao SPFC mensalmente o equivalente ao salário do Daniel Alves. E os órgãos que deveriam fiscalizar a presidência são hoje controlados pela situação, portanto não há contestação das péssimas decisões tomadas.

      • Outro ponto: cadê o parceiro que pagaria a parte do salário do Daniel Alves que excede o teto do clube?
        Falta transparência além de competência.

  6. Obrigado Paulo Pontes pelo incentivo e o espaço.
    Estou à disposição para debates e questões, sempre mantendo o respeito e educação que encontro todas as vezes aqui.
    Um ótimo final de semana a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.