Lorenzo

Paixão da minha vida, na alegria e na tristeza 

 

Uma das paixões da minha vida e’ o esporte, fui criado nele, na natureza,  naquela época literalmente  descobrindo riachos e jogando futebol, adorava tudo isso, portanto cresci dentro dele  e direcionei minha vida  nele. Sou apaixonado e com meu pai tornei-me torcedor do Tricolor do Morumbi, nessa época nosso time era bem representado e sempre foi uma das referencias em todos os sentidos seja dentro do gramado ou fora dele, entretanto naquela época o Santos era quem mandava no pedaço, digo na America e no Mundo. integralmente, nem preciso dizer porque, ai começava a era Pele’,  como no Rio tínhamos o Botafogo do Garrincha, porem nem por isso ficávamos atras, na defensiva, dentro de campo diziam sempre sao onze contra onze e isso era literalmente o que acontecia, chegamos a colocar uma goleada histórica no Santos do Pele’ onde eles  correram de campo, sonoros 4 a 1. Porem, a minha pergunta  era ??? Quando o meu São Paulo sera’ igual ao poderoso Santos ??? Nunca, com certeza, e o tempo me contradisse: os superamos.

Agora vem a segunda parte da historia, tive o privilegio de a partir de 1957 conhecer toda a trajetória do meu time com a primeira a conquista do campeonato Paulista em cima do favorito Corinthians numa final memorável onde metemos  3 a 1, detalhe o Paulista daqueles tempos era mais difícil que o Brasileiro de hoje, grandes equipes, grande celeiro de jogadores, jogadores sim de futebol, vindos da várzea e das praias e dos campos de fazenda, ai’ eram formados os jogadores, nao nas escolinhas de hoje.Naquele jogo quando da feitura do terceiro gol por  Maurinho este pediu para o poderoso Gilmar escolher o canto que queria a bola, e assim o fez, apos a feitura do  gol Gilmar corria pelo gramado atrás do Maurinho e a torcida não sabia porque ??? Ai’ pode ter um pouco de folclore porque o que ouvi foi por narração de radio e também nem sei se isso e’ verdadeiro, mas afirmo que sim e acabou.
Ai’ estava nascendo a minha paixao por esse time maravilhoso que deu a mim, meus pais e filllhos a alegria de viver momentos de intensa alegria.
Paulistas, Brasileiros, Libertadores, Mundiais, Recopas, Sulamericanas, torneios de verao na Europa, tudo, tudo  era conquistado dentro de campo e sempre com sobras e nao duvidas.
Sempre fomos um time respeitado por sua idoneidade, por seus dirigentes íntegros, apesar de alguns terem provado o contrario, isso acontece porem nas melhores famílias. Orgulho de ter nascido sampaulino do time que agregou e buscou sempre os melhores jogadores de técnica e responsabilidade para representar nossas cores, não me arrependo nunca e me alegro por fazer parte dessa família imensa. Passamos hoje por momentos conturbados e sei que a nossa volta tudo se deteriora nao temos mais os artistas dos anos de gloria, porem com responsabilidade e buscas do passado conseguiremos seguir dentro do padrão que construímos, isto e’ sempre entre os primeiros.
Temos nossa estrada construida edificada para um transito intenso e incessante e cada vez mais pesado, buscamos  sempre glorias e objetivos inatingíveis  para outros, não para nós, por isso somos conhecidos como o *Clube da Fe*, que carrega o nome da cidade e do estado mais imponente,  competente e batalhador do Brasil.
Joao Lourenco Fenoglio

9 comentários em “Lorenzo

  1. Sou torcedor nativo dessa mesma época. Do começo da era das vacas magras. Da transição do fantástico time de Mauro, De Sordi, Poy, Gino, Dino Sani, Canhoteiro, Maurinho, para aqueles times ruins de Suly, Deleu, Cecílio Martinez, Luiz Valente, etc., quando cada centavo obtido se destinava a construção da nossa casa. Veio a década de 70 e com ela retornamos aos títulos. O amor ao time de futebol é algo que não se negocia e nem se separa. Quando se tem a benção de nascer tricolor, semeamos junto com o amor ao clube, a paixão pelas três cores. Vem os filhos e fazemos deles fieis dessa autêntica religião Parabéns
    Lorenzo… pela sua comovente declaração de amor e de fidelidade ao Tricolor.

  2. Lorenzo, foi muito legal ter lido um texto com tanto sentimento. Me fez recordar de quando eu me apaixonei por esse clube tão mágico como só o São Paulo consegue ser, quando foi buscar objetivos inatingíveis para os outros mas não para nós, como você perfeitamente descreveu. Foi exatamente isso que me atraiu no São Paulo, essa é a nossa essência e isso se repete ao longo da história, torço muito para que se repita agora novamente com esse ressurgimento tão improvável mas que só o tricolor é capaz de fazer. Um grande abraço.

  3. Se outrora tivéssemos jogadores com 1/3 desse AMOR ao clube teríamos uma história ainda mais Rica, o problema é que o ego dos dirigentes é tão grande quanto esse amor!!!

    Amigo Lorenzo parabéns pelas palavras!!!

    “Estou escrevendo no momento em que o time Sub20 acaba de see campeão e escutar o hino do clube na televisão novamente me levou as lágrimas como em varios outros títulos”.

  4. Como diz o ditado o homem troca de endereço, troca de emprego, troca de mulher, há aqueles que trocam até o gênero, mas não troca o time que torce, será esse o amor verdadeiro? Está aí o amigo (se posso assim o chamar) Lourenço dando essa prova, parabéns.

    • Agradeco amigo PP
      por esta opornidade dada a mim,
      e tambem aos demais amigos do nosso
      Tricolornaweb, por essa coluna dedicada a no’s.
      Sou mesmo fan de gente
      criada no radio, onde conheci os maiores e os melhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*