Sidão aprova Jean, mas manda recado: “Eu que estou no cargo”

“Não sou um golpe de sorte”. É assim que Sidão se define, e prova essa frase com suas duas últimas temporadas. Em 2016, substituiu Jefferson no Botafogo e foi também que foi contratado pelo São Paulo. Neste ano, superou a concorrência de Denis e Renan Ribeiro, virou titular e avisa: será um líder da posição no elenco, mesmo com a chegada de Jean, do Bahia, já apalavrado com o clube.

– Já é a segunda vez que pego uma bucha, e provo que tenho condições de jogar em alto nível. Aqui é minha casa, minha vida. Quem vier, vai brigar pela posição, mas, por enquanto, sou eu quem estou no cargo e vou brigar para manter essa posição – avisou o goleiro de 34 anos, aceitando o posto de referência entre os colegas da posição no Tricolor.

– Nessa posição, é inevitável assumir essa postura de referência. Temos o Lucas Perri e o outro Lucas, da base. Então, quem vier será bem-vindo. Não tenho certeza absoluta da contratação (do Jean), mas, pelo pouco que vi, é um ótimo goleiro e vai acrescentar muito a nós, se vier. Assumo a responsabilidade e vou passar o melhor de mim para eles – disse, feliz por seu fim de 2017.

– Comecei o ano de forma muito boa e, depois, sofri uma lesão que me atrapalhou bastante. Forcei jogar lesionado e meu rendimento caiu muito. Esperei minha oportunidade e, hoje, estou provando meu valor e meu talento dentro de campo. O ano está encerrando bem para mim. A disputa sempre vai existir em grandes clubes, é inevitável. Quem vier, será muito bem-vindo, e a disputa será sadia.

Falando em liderança, Sidão, que concedeu entrevista coletiva antes do treino da manhã desta quarta-feira, fez questão de destacar Lugano. O uruguaio fica sem contrato em dezembro, não deve renovar e está sem entrar em campo desde 2 de julho, quando Rogério Ceni ainda era o técnico no São Paulo. Mas, segundo o goleiro, o uruguaio foi fundamental para evitar o rebaixamento do time no Campeonato Brasileiro.

– O Lugano foi importantíssimo para a gente. Tinha tudo para usar sua liderança e idolatria, e poderia usar isso para trazer turbulência. Pelo contrário. Foi um dos cabeças para ajudar a todos e nos ajudar a sair dessa. Se dependesse de mim, o Lugano ficaria o tempo que ele quisesse aqui no São Paulo.

Confira outros temas abordados por Sidão em sua entrevista nesta quarta:

2018
Realmente, 2017 foi um ano atípico. Deve ter sido a pior campanha do clube no primeiro turno da história. Para o ano que vem, algumas coisas precisam ser mudadas. Planejamento da diretoria e comissão técnica. Precisa-se cumprir esse planejamento para conquistarmos títulos. Nós, jogadores, já estamos conversando sobre algumas mudanças nossas.

Quase ter deixado o futebol há alguns anos
Muita coisa aconteceu na minha vida. Pensei em desistir por conta de instabilidade financeira. O futebol não estava me proporcionando isso, mas minha vida é essa mesmo. Deus foi fiel na minha vida. O que as pessoas chamam de sorte, vou falar que foi Ele. Tudo que tinha de ser de fracasso, foi sucesso.

Torcida
O que o torcedor fez foi impactante. Estávamos esperando uma postura de invasão e agressão, e eles nos surpreenderam. Não fizeram pelos jogadores que aqui estavam, mas pelo amor ao clube. Eles deram uma prova de amor ao clube. O que estamos vivendo, essa reação, se deve muito a eles. Com certeza, vão bater esse recorde (de público total no ano). Vão fazer história.

Tensão na zona de rebaixamento
Foi uma pressão absurda. Houve um tempo em que nos olhávamos e víamos como a coisa estava feia. Não tínhamos esperanças de algo bom. Jogávamos bem e o resultado não vinha. Foi um período bem difícil. Teve desgaste psicológico e emocional. Você chegava em casa e descontava em quem não tinha nada a ver. O alívio de ter livrado do rebaixamento encerra aqui. Aqui não tem ninguém festejando. Permanecer na Série A é obrigação do São Paulo. E estamos aliviados em deixarmos o clube na Primeira Divisão.

Ceni no Fortaleza
Mandei uma mensagem para o Rogério mandando parabéns para ele. Que ele possa fazer um bom trabalho e ser reconhecido como técnico.

Dois últimos jogos na temporada
Estamos procurando fazer os seis pontos e ficar em um lugar que nos proporcione disputar outra competição em 2018. Tínhamos definido isso que, após definir o assunto rebaixamento, buscaríamos algo melhor. São seis pontos que restam, e vamos buscá-los.

Jogo inesquecível nesta temporada
Fiz bons jogos, mas aquele contra o Sport foi especial. Estávamos na zona do rebaixamento e, depois daquele jogo, saímos daquela situação. Esse foi o jogo que mais me destaquei.

 

Fonte: Lance

8 comentários em “Sidão aprova Jean, mas manda recado: “Eu que estou no cargo”

  1. PP não tem nada estranho na contratação deste Jean não? O cara ainda eh uma incógnita e estamos pagando 10 milhões nele? E isto mesmo? Pelo amor que vc tem ao tricolor, investigue isto porfavor, tah muito, mas muito estranho isto. Serah que temos alguma Cinira negociando isto tb?

  2. Se esse cara não é um “golpe de sorte”, não existe a tal sorte no mundo!
    Esse cara é muito ruim; ele apenas deu sorte nalgumas bolas chutadas a gol e que ele espalmou (a maioria para dentro da área). Algumas, muito fáceis, ele as espalmou para escanteio quando poderia perfeitamente segurá-las, sem antes se jogar para o alto como se estivesse defendendo sua própria vida.
    Vá lá, Sidão! Alguns torcedores e a imprensa interessada pode acreditar que sua performance foi alguma coisa de boa. Só que muita gente vê e enxerga o que vê e, para essa gente, as coisas não foram bem assim…

  3. Se Sidão quiser tentar ficar como titular vai ter que jogar como jogou no Botafogo carioca, se não fizer isso, sem chance de competir com o garoto Jean.

  4. Nada contra o Sidão, é um bom goleiro, mas para ficar no banco. Tem excelente reflexo, o melhor dos 3 atuais do São Paulo, mas infelizmente rebate todas as bolas. Raramente segura uma. Isso, sem dúvida, é um defeito explorado pelos adversários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*