SP não quer repor Marcinho e Denilson. Para 2018, ideia é apostar na base

Dois jogadores devem ter o destino no São Paulo definidos nesta semana. Os atacantes Denilson e Marcinho estão emprestados somente até o fim da temporada e dificilmente continuarão no elenco em 2018. As baixas iminentes, ambas para a mesma posição, poderiam atrapalhar o planejamento de Dorival Júnior, mas não causam preocupação. O Tricolor confia que pode repor essas vagas sem nem sequer entrar no mercado.
O departamento de futebol entende que, para investir em jogadores jovens (os dois têm 22 anos), é preciso que os reforços sejam de peso, prontos para jogar e trazer benefícios ao time. Cabe nesse exemplo o também atacante Marcos Guilherme, da mesma idade de Marcinho e Denilson, que logo virou titular e soma seis gols em 20 partidas como são-paulino.

Assim, em vez de ir ao mercado para colocar dinheiro em coadjuvantes sem tanta experiência, o Tricolor quer valorizar e aproveitar mais as categorias de base. A afirmação de Militão, mesmo improvisado na lateral direita e com os experientes Bruno e Buffarini no elenco, é um exemplo que embasa essa proposta da comissão técnica para o próximo ano.

Por isso, ainda nesta semana é provável que a diretoria procure os representantes de Marcinho, já procurado pelo Fortaleza a pedido de Rogério Ceni, e Denilson, para comunicar que a preferência de compra não será exercida. No último caso, a prioridade tricolor termina em 30 de novembro.

No lugar de “Denilsons e Marcinhos”, o torcedor pode esperar ver mais de jogadores como Brenner e Paulinho Bóia, promovidos ao profissional durante este Brasileirão. O primeiro chegou a entrar em dois jogos – um com Dorival e outro com Ceni – e pode ser aproveitado novamente nas rodadas finais contra Coritiba e Bahia. Pratto está com problemas físicos, Gilberto também ficará sem contrato e pode ser preterido e o time já está sem a pressão dos riscos de rebaixamento. Assim, o caminho está aberto para o desejo da comissão técnica.
Brenner agrada, além do desempenho assustador na base, com média de quase dois gols por jogo, por conseguir atuar como ponta ou como referência no ataque. O estilo é comparado ao de Gabriel Jesus, que mesmo sem um porte físico avantajado consegue ser centroavante. O garoto de 17 anos é um dos expoentes da badalada Geração 2000 no futebol brasileiro.

Enquanto Brenner foi promovido por Ceni, Bóia foi pinçado por Dorival Júnior mesmo sem ser titular dos times que disputam as competições sub-20. Os treinos no profissional impulsionaram o futebol do atacante, que passou a ser mais participativo quando descia para os jogos da base. Aos 19 anos, como gosta a comissão de Dorival, tem estilo agressivo: dribla, busca jogadas verticais e finaliza bem.

Para o ataque, há ainda Caíque, um dos condutores do sub-20 nos últimos anos, que pode ser observado a partir da pré-temporada. Outros nomes de Cotia já foram chamados para treinos com Dorival e se enquadram como possíveis peças de reposição para baixas no elenco: o zagueiro Rony, o volante Pedro, os meias Liziero e Igor Gomes. No sub-17, quem conseguir subir de patamar na Copa São Paulo de 2018 pode ter chances. Sem falar no também jovem zagueiro Iago Maidana, que volta de empréstimo do Paraná Clube após conquistar o acesso à Série A do Brasileirão.

 

Fonte: Uol

 

Nota do PP: muito bem. Espero que continue assim e que o dinheiro canalizado com essas “bombas” sejam revertidos em aquisições nas posições que o time carece e em peças fundamentais, como Jucilei e Hernanes.

17 comentários em “SP não quer repor Marcinho e Denilson. Para 2018, ideia é apostar na base

  1. Marcinho até teve algumas boas atuações no início, mas depois caiu demais. Denilson não mostrou a que veio. Serão facilmente substituídos.
    Cotia custa para o SPFC em torno de R$ 25 milhões por ano. Com Militão desenvolvendo bom futebol, Shaylon dando mostras que pode evoluir, Lucas Fernandes ganhando espaço e com a promoção do Brenner o retorno do investimento já está garantido em 2017. Subindo por ano 2 a 3 valores da base – e mantendo esses atletas em nosso plantel por 3 a 5 anos (contratos bem feitos) – teremos sempre times competitivos sem precisar contratar jogadores medianos no mercado, guardando o dinheiro para REFORÇOS de verdade. Simples, mas exige planejamento de médio e longo prazo.

  2. Tem que manter Jucilei, Hernanes, Cueva e Petros, contratando os primeiros e não negociando os demais.

    Antes de experimentar a base, é preciso começar a montar um elenco estável, com alguns titulares experientes.

    Maidana parece ser bom reforço.

  3. Eu aproveitaria o Foguete.Vcs falam como se craques brotassem do gramado como mato, e não é assim.Tem que se formar um time.Perdemos a chance ao pinçar André Jardine para o comando do time no começo do ano e não fazer graça com a torcida com Rogério Ceni. E vender não é assim, fácil.Se não servem, quem vai querer comprar?

  4. Bem, eu não acredito que isso vai acontecer. Mas, no meu ponto de vista é uma lógica que deve ser seguida por quem investe tanto nas categorias de base. Os garotos têm que ser aproveitados assim que se destacam na categoria de base. Já aqueles que não mostrarem condições devem ser imediatamente vendidos e não mantidos em categorias tipo sub-23, casos de Lucas Farias, Foguete, Pedro Bortoluzo, Hugo, Gabriel, Áureo etc. Não estão à altura, desocupem espaço. Contratações só para jogadores capazes de serem titulares. Sonho, porque os que mandam e se acham donos do São Paulo são amadores satisfazendo seus egos de pseudo torcedores apaixonados.

  5. O São Paulo precisa mesmo é reaver seus emprestados: Hudson, Breno, Reinaldo e Wellington. Se os craques da base forem tão produtivos quanto Lucas Fernandes e Shaylon estaremos ferrados.

  6. Bem, eu não acredito que isso vai acontecer. Mas, no meu ponto de vista é uma lógica que deve ser de seguida por quem investe tanto nas categorias de base. Os garotos têm que ser aproveitados assim que se destacam na categoria de base. Já aqueles que não mostrarem condições devem ser imediatamente vendidos e não mantidos em categorias tipo sub-23, casos de Lucas Farias, Foguete, Pedro Bortoluzo, Hugo, Gabriel, Áureo etc. Não estão à altura, desocupem espaço. Contratações só para jogadores capazes de serem titulares. Sonho, porque os que mandam e se acham donos do São Paulo são amadores satisfazendo seus egos de pseudo torcedores apaixonados.

  7. Correto. O SPFC investe muito dinheiro em Cotia pra ficar trazendo de fora jogador apenas mediano. Melhor um talentoso inexperiente do que um veterano só razoável.

    O SPFC tem grande visibilidade, tem que colocar os nossos jogadores na vitrine, não jogador de empresário.

    Agora, precisamos de laterais, esses não sei se a base vai suprir.

  8. Se não for para ser assim, melhor encerrar as portas de formação de jogadores.
    Se nas divisões inferiores não tiver jogadores para substituir Edimar, Marcinho, Denilson, Buffarini, Bruno, Nem, Bruno Alves, Aderlan, etc. etc., à altura ou melhor, melhor encerrar as portas de Cotia e usar a grana para pagar as tais contas que nunca acabam ou, quem sabe, prum “desviozinho” maneiro, que ninguém é de ferro, néh!!!

  9. Bem, eu não gosto do Dorival Jr. como técnico, mas já disse aqui que ele tem coragem, apesar de certas escalações equivocadas.

    Um ponto positivo com sua chegada foi a preparação física do time que mudou para melhor sem dúvida.
    E acho sensato adotar a proposta de trabalhar com mais garotos da base, tem que ter peito para apostar nesses garotos e aguentar as críticas que surgem no início do trabalho.

  10. Só acredito vendo, essa mesma diretoria disse no ano passado que só precisaria de 60 milhões em vendas para manter o equilíbrio em 2017, e vimos o que fizeram, venderam 3 vezes mais, contratatam mal, quase rebaixaram o time e ainda o clube continua com dívidas e devendo, o que adianta sair vendendo o time todo em suaves prestações, se vão ter que antecipar verba da TV ou fazer empréstimo bancário ainda este ano para pagar as contas, ou seja qual a vantagem de desfazer um time sendo que os problemas financeiros não iriam sanar/aliviar imediatamente, vide a galinhada que está devendo até a alma e seguraram os seus jogadores com várias propostas, visando somente ganhar título, enquanto tivermos as mesmas pessoas amadoras fazendo as mesmas coisas na gestão, continuaremos com os mesmos resultados, briga contra o Z4.

  11. Já estava na hora de dar um basta em jogadores contratados ainda no vestiário do time adversário, tipo Silvinho (invenção do Juvenal), Neilton, Marcinho e Denílson (invenções de Rogério Ceni).

  12. postura correta da diretoria. se for pra apostar, que aposte em quem está lá.

    o problema é que todo ano há este discurso, mas quando começa a temporada, surgem estas contratações estranhas. desconfio que exista alguma motivação extra para quem negocia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*