Sem o lesionado Everton, treino do São Paulo tem pisão e susto de Nenê

Sem a presença do lesionado Everton, o treino do São Paulo na manhã desta quarta-feira foi marcado por um susto que Nenê deu em seus companheiros e membros da comissão técnica. Em dado momento da atividade, realizada no CT da Barra Funda, o meia levou um pisão no pé esquerdo, em que já havia sofrido com dores após o clássico contra o Palmeiras, no último sábado, no Morumbi.

O lance em questão aconteceu durante um trabalho em campo reduzido comandado pelo técnico Diego Aguirre. Após sofrer com a dividida, o camisa 10 caiu reclamando de dores, levantou-se, mas voltou a se deitar até ser atendido pelo massagista Ailton Rodrigues, que aplicou um aerossol gelado na região.

Após o rápido tratamento, Nenê complementou o treinamento normalmente. Durante a atividade, Aguirre não deu indícios do time que enfrentará o Internacional no próximo domingo, no Beira-Rio, uma vez que dividiu o elenco em suas equipes sem que houvesse distinção entre titulares e reservas.

Para essa partida, aliás, o treinador já tem quatro desfalques certos. Além de Everton, que teve um novo estiramento na coxa esquerda detectado, o zagueiro Arboleda (seleção equatoriana) e os meias-atacantes Igor Gomes e Luan (Seleção Brasileira sub-20) também não atuarão em Porto Alegre.

A tendência, contudo, é que a lista de desfalques aumente. O versátil Araruna, que nesta manhã treinou com bola em separado, ainda se recupera de uma contratura na coxa direita que o tirou dos jogos contra América-MG, Botafogo e Palmeiras.

Quem apareceu em campo nesta quarta-feira foi Brenner. Autor de um dos gols da vitória por 2 a 0 do time sub-23 sobre o Atlético-PR na última terça, pelo Campeonato Brasileiro de Aspirantes, o centroavante fez apenas um trabalho regenerativo no gramado.

Com apenas duas vitórias nos nove jogos do segundo turno, o São Paulo ocupa a quarta colocação do Brasileiro, com 52 pontos, quatro a menos que o líder Palmeiras. Seu próximo adversário, o Inter, figura no segundo lugar, com 53. O time dirigido por Aguirre volta a treinar na tarde desta quinta.

Fonte: Gazeta Esportiva

3 comentários em “Sem o lesionado Everton, treino do São Paulo tem pisão e susto de Nenê

  1. Se com as semanas cheias o futebol ao invés de crescer acabou involuindo, o ideal era parar de dar folgas pra esses jogadores como vinha acontecendo e colocar esses fdps pra treinar.
    Dane-se se algum se lesionar, afinal não mudam uma partida, mesmo contra os piores.
    Como não caíremos mais e provavelmente nem campeões seremos , entrar na Libertadores pra apenas participar é perda de tempo .
    Prefiro concentrar as poucas e parcas forças no Paulista e ganhar um título ao menos, já que os rivais sempre estão ganhando algo, e nós felizes por nunca termos sido rebaixados e estarmos lotando o Morumbi com o ingresso mais barato do campeonato.
    Se com o apoio e AMOR da torcida as coisas não vão, talvez seja melhor um pouco de terror e algumas porradas surtam efeitos.
    Ao menos porrada no Leco e seus capachos eu apoio.
    Afinal quando da última invasão da torcida no cct, segundo o próprio Leco “foram apenas alguns chutinhos e soquinhos” e é disso que este energúmeno precisaria receber agora, hoje se possível.
    Malditos estão acabando com o nosso SPFC.

    • Jairo, me permita discordar, primeiramente por achar que seus comentários são sempre equilibrados e neste, creio que se deixou levar por pura emoção e em segundo lugar por que violência não resolve o problema de ninguém, apenas provoca mais violência.
      O primeiro turno gerou uma expectativa falsa em relação ao desempenho do time, formamos um time limitado, disciplinado e voluntarioso, e um elenco desequilibrado, sem muitas chances de chegar ao título se comparado a alguns adversários.
      A classificação para a Libertadores vejo como um bom resultado na temporada, e aí é que desejo ver como será montado o time para 2019, afinal após um ano praticamente de gestão da diretoria espero por bons investimentos e consequentemente um ano promissor.
      Não adianta ser campeão este ano e ano que vem voltar a lutar contra o rebaixamento, pois um título poderia mascarar a realidade.
      Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*