Sem número, Paulo Assunção treina com reservas antes de apresentação

O único reforço trazido pelo São Paulo do exterior nesta última janela de transferências será apresentado nesta segunda-feira. Mas já trabalha com o elenco. Ainda sem número na camisa – o mais provável é que use o 12 que era de Fernandinho –, Paulo Assunção trabalha normalmente no campo com os atletas que não foram titulares na goleada sobre o Flamengo nesse domingo.

O volante, que rescindiu com o Atlético de Madri e assinou contrato de um ano com o Tricolor, só precisa ter sua documentação regularizada na CBF para estrear já nesta quarta-feira, diante do Bahia, em Salvador, pela Copa Sul-americana.

Pela movimentação semelhante à dos outros atletas na atividade desta tarde, o recém-contratado tem boas condições físicas, como garante Ney Franco. Embora não entre em campo desde maio, o jogador participou de parte da pré-temporada do Atlético de Madri antes de acertar sua saída.

Aos 32 anos, o atleta revelado pelo Palmeiras – e que participou do rebaixamento da equipe no Brasileiro de dez anos atrás – é a solução encontrada pela diretoria para dar mais poder de marcação ao meio-campo, já que Wellington está em fase final de recuperação de cirurgia no joelho esquerdo e Fabrício, que operou o joelho esquerdo e só joga no ano que vem.

Caso Paulo Assunção seja utilizado já como titular, quem corre risco de perder a posição é Maicon, se Ney Franco optar por manter o 3-5-2 e dar mais liberdade a Denilson, segundo volante de origem que tem se sacrificado à frente da cabeça de área. Mas também é possível que um dos zagueiros seja sacado, provavelmente João Filipe, já que Denilson e Paulo Assunção garantiriam mais proteção a Rhodolfo e Rafael Toloi.

Paulo Assunção volta ao Brasil depois de dez anos na Europa. Após passar pelo Porto por empréstimo entre 2000 e 2001, deixou o Palmeiras em 2002 para se juntar ao Nacional da Ilha de Madeira, em Portugal. Em 2004, defendeu o Atenas, voltando ao Porto no ano seguinte. Estava no Atlético de Madri desde 2008.

O jogador retorna ao País com duas Ligas Europa (2009/2010 e 2011/2012), uma Supercopa da Europa (2010), um tricampeonato português (2005/2006, 2006/2007 e 2007/2008), uma Copa de Portugal (2005/2006) e uma Supercopa de Portugal (2006).

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*