São Paulo x Marília tem goleada, racismo e ampla vantagem tricolor

A história do confronto entre São Paulo e Marília pelo Paulistão, que terá mais um capítulo neste domingo, no Morumbi, é marcada por uma ampla vantagem tricolor, um abismo semelhante à situação dos times na atual temporada, na qual o Tricolor caminha com tranquilidade para a classificação – tem 23 pontos em seu grupo, 10 a mais que o terceiro colocado – e o Alviceleste se vê a cada rodada mais perto de retornar à Série A2, divisão que disputou no ano passado – o MAC tem apenas dois pontos e é o único time que ainda não venceu.

No total, são 30 confrontos entre São Paulo e Marília, com 20 vitórias são-paulinas e apenas quatro do time do oeste do estado, além de seis empates (confira no Futpédia os detalhes desse confronto). No Morumbi, então, a superioridade é maior ainda: em 13 duelos, o Tricolor só não venceu uma vez, em 1985, quando o placar fechou em 0 a 0. É também contra o Marília que o São Paulo registrou sua maior goleada no confronto, um 6 a 0 em duelo de 2005, a maior do Tricolor desde os 8 a 1 aplicados sobre o Juventus, em 1997.

26/9/1982 – MAC 2 X 1 SP – A PRIMEIRA VITÓRIA

Neste ano, o Marília recebeu o São Paulo no estádio Abreuzão e conquistou sua primeira vitória no confronto, por 2 a 1, com gols de Cândido – Tatu anotou para o São Paulo. O resultado ajudou a fragilizar ainda mais a situação do técnico Poy, que já acumulava uma eliminação na Copa Libertadores.

Já para o elenco maqueano, a primeira vitória contra um time da capital deu moral para equipe. Na temporada, o Marília já havia empatado com o Palmeiras, por 1 a 1, no dia 18 de julho. Depois do confronto com o São Paulo, o Alviceleste ainda enfrentaria os outros dois times da capital, perdendo para o Santos, por 3 a 2, no dia 10 de outubro, e batendo o Corinthians, por 1 a 0, no dia 2 de dezembro – o Timão terminaria como campeão, ao bater por 3 a 1 o São Paulo na decisão. Na classificação final, o Marília terminou na 13ª colocação, entre 20 clubes participantes.

19/3/2005 – SP 6 X 0 MAC – GOLEADA E RACISMO

Esta partida de 2005, ano em que o São Paulo faturaria o Mundial de Clubes, ficou marcada nem tanto pelo tamanho do placar, construído com gols de Júnior, Marco Antônio, Grafite, Rogério Ceni e Danilo (2), mas por uma acusação de racismo. O zagueiro Fabão, do São Paulo, afirmou que o atacante argentino Frontini, do Marília, teria proferido ofensas raciais após uma disputa de bola. A situação acabou contornada pelo então supervisor de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, que reuniu os dois jogadores em uma sala e, após uma conversa, resolveu o problema.

O caso com Frontini não foi o único daquela semana: em jogo do São Paulo pela Libertadores da América, contra o Quilmes, da Argentina, o atacante Grafite reclamou de ofensas racistas vindas do zagueiro rival Desábato. Na ocasião, o jogador foi detido na saída do gramado e só liberado depois de pagar fiança.

17/2/2008 – MAC 3 X 2 SP – FAIXA CARIMBADA

Campeão brasileiro em 2006 e 2007, o São Paulo começava o ano de 2008 como um dos favoritos ao título do Campeonato Paulista. O Tricolor, que vinha de quatro vitórias e quatro empates no torneio regional, buscava alcançar a Ponte Preta, mas acabou vendo a distância para a liderança aumentar depois do confronto contra o Marília.

O MAC, que vinha de duas derrotas consecutivas, para Santos e Sertãozinho, venceu o Tricolor por 3 a 2, atuando no estádio Abreuzão. Em um jogo tenso, que contou com uma expulsão muito contestada do zagueiro André Dias, o MAC chegou a abrir 2 a 0, viu o Tricolor empatar com Hernanes e Jorge Wagner, mas festejou a vitória – e o carimbo na faixa – depois que Magno Ferreira fez o terceiro. Apesar da derrota, o São Paulo se classificaria para a semifinal do Paulistão, perdendo para o Palmeiras, que se tornaria o campeão do torneio naquele ano.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*