São Paulo volta a se aproximar de Vargas e espera acerto rápido

O São Paulo iniciou o ano muito próximo de um acordo com o Napoli para contratar o chileno Eduardo Vargas. Os dias se passaram, o acerto não aconteceu, e as conversas até esfriaram. Mas, nos últimos dias, a negociação voltou a ficar favorável aos brasileiros. Nesta quinta-feira, o desfecho, que havia se tornado difícil, voltou a ser uma possibilidade real, e pode ocorrer nos próximos dias.

Vargas e o Tricolor já haviam chegado a um ponto comum desde o fim de 2012. Diante do interesse de Grêmio e Santos, o chileno escolheu o time do Morumbi, que topou pagar integralmente seu salário (cerca de R$ 240 mil mensais), e ainda lhe ofereceu status de protagonista, já que seria o tão falado substituto de Lucas, ídolo da torcida e vendido para o PSG na transferência mais cara da história do futebol brasileiro.

O empresário de Vargas, Cristián Ogalde, esteve no CT da Barra Funda no fim de novembro. Na ocasião, foi recebido pelo diretor de futebol Adalberto Baptista. O acerto esteve encaminhado desde então. Porém, apesar das declarações públicas de seu pai, que tem o mesmo nome, sobre a preferência do filho pelo Tricolor, e também de dirigentes do Napoli confirmando que ele seria emprestado, o clube italiano demorou a responder sobre a investida são-paulina.

O interesse de potências europeias no uruguaio Cavani, principal astro do Napoli, desviou a atenção da diretoria, que viu a possibilidade de um negócio milionário. O São Paulo tinha pressa e definiu, entre diretoria e comissão técnica, que Vargas era mesmo o nome ideal para que Ney Franco tivesse a opção de escalar o time no mesmo esquema tático de 2012, com dois homens abertos.

Caso a contratação se confirme, Vargas vai disputar posição com Osvaldo, Jadson e Ganso. Um dos três terá de sair da equipe para que o chileno seja titular. O período do empréstimo era um dos últimos empecilhos do contrato, mas havia a possibilidade de o São Paulo acertar por seis meses, com duas prorrogações pré-definidas, mas sujeito ao desejo do Napoli de que o jogador retornasse. A intenção da diretoria é manter o atacante no Morumbi até a Copa do Mundo de 2014. A possibilidade de ser visto por Jorge Sampaoli, técnico da seleção chilena e seu ex-comandante na Universidad, foi um dos pontos que mais atraíram Vargas ao São Paulo.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*