São Paulo vai empossar conselheiro que foi preso pela Lava Jato

O Conselho Deliberativo do São Paulo vai empossar Daurio Speranzini Jr, como novo conselheiro do clube. Ele era um dos suplentes que ganharam cadeira no  Conselho Deliberativo, depois que sete conselheiros foram eleitos vitalícios.

Daurio teve a prisão preventiva decretada em julho pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, após o Ministério Público Federal encontrar em sua residência um dossiê, datado de 20 de junho de 2018, contra um denunciante seu. A prisão fez parte da Operação Ressonância Magnética, desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro que investiga fraude nas licitações da área de saúde celebrados pelo Estado do Rio e pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia.

A testemunha relatou que a Philips, onde Daurio era CEO na época dos fatos, teria vendido equipamentos nesse esquema. Outra testemunha declarou que a empresa seria integrante do denominado “clube do pregão internacional” em contratos com a Saúde do Rio.

Também em julho, Bretas mandou prender novamente Iskin e Estellita, após Gilmar determinar a soltura dos dois em dezembro do ano passado. A empresa Oscar Iskin é apontada como líder do cartel formado por pelo menos 33 empresas, algumas delas atuando como laranjas das demais, que se organizavam no “clube”.

No início de agosto o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, mandou soltar Daurio Speranzini Jr e os outros dois presos por entender que a apreensão de documentos na casa do novo conselheiro são-paulino não justificaria a prisão preventiva. Gilmar Mendes agiu como tem feito com os demais presos pela Operação Lava Jato.

De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Pupo, disse que “Trata-se de uma situação complexa, que versa sobre um tema extremamente sensível. O Daurio será empossado como conselheiro, visto não haver situação jurídica definitiva que impeça o contrário, afirmou Pupo.

Ele também falou que “Logicamente que tal posição pode se alterar futuramente, conforme o rumo jurídico que o caso venha a tomar, situação que não temos como avaliar nesse momento.”

Daurio Speranzini Jr faz parte do trupo que tem Eduardo Alfano e Dorival Decoussau, pai do ex-jogador Caio Ribeiro, que migrou da oposição para a situação durante a última eleição de conselheiros vitalícios.

Os demais empossados serão Agnaldo Garin, Fernando Garbini, Mario Celson da Silva Braga, Gilberto Cianci, Carlos Alberto Pereira e Carlos Minoru Takagi.

 

Paulo Pontes

4 comentários em “São Paulo vai empossar conselheiro que foi preso pela Lava Jato

  1. Para quem não puniu o Jack Chinês, para quem já tem ex-presidiário no Conselho, isto não é novidade. Lembro que além do Vitalicio Curinthiano, mais um suplente Palmeirense subiu, neste BRILHANTE processo de escolha de VITALÍCIOS. Mais uma VERGONHA. O SPFC copiou o hábito de Brasília que é o de dar guarida para Bandidos e Corruptos. ( começou nos anos 1990)

    Sobre o Clube tem uma nuvem negra. Não é só a bola que pune , Deus também.

  2. Isso não é normal e também não moral, mas é legal. Apesar do esforço dos juízes de 1ª Instância em querer ter uma Constituição Federal própria a gosto de cada um, é imperativo lembrar que a CF de 88 ainda está vigente.
    No ordenamento jurídico ao que me consta ainda existe o benefício da dúvida, a necessidade de provas e um julgamento imparcial.

    Não estou aqui defendendo esse senhor que nem conheço, mas quando vejo um magistrado que tem uma fortuna em imóveis e se apropria de uma “auxílio-moradia”, no meu entender são farinhas do mesmo saco em graus diferentes, apenas isso. Aliás, esse judiciário me enoja tanto quanto o legislativo e o executivo, tão apodrecido quanto estes. Coitado de nós pagadores de impostos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*