São Paulo tem acordo com agente de Kardec e afasta atacante do Palmeiras

O São Paulo já tem um acordo com Marcos Casseb, agente da Traffic que representa os interesses de Alan Kardec. O UOL Esporte ouviu da cúpula do Palmeiras que uma comissão acertada entre a diretoria tricolor e o empresário no valor de quase R$ 2,2 milhões emperra as discussões de renovação do clube do Palestra Itália com o artilheiro do Campeonato Paulista.

Além disso, os dirigentes do Palmeiras sabem que os são-paulinos ofereceram a Kardec um salário na casa dos R$ 350 mil, sem produtividade, como noticiado pelo UOL Esportecom exclusividade na terça-feira. Esse valor só seria pago ao artilheiro caso ele chegasse muito perto de atingir 100% de participação dos jogos no time alviverde.

Nesta sexta-feira, Alan Kardec não se apresentou para treinar na Academia de Futebol. Ele ligou para o médico do clube e avisou que segue com problemas de gastrite, assim como ocorreu na última quinta-feira, quando deixou as atividades após o aquecimento.

Na noite da última quinta-feira, os portugueses notificaram o Palmeiras que tinham recebido uma proposta de R$ 14 milhões. Antes mesmo das 72 horas de prazo que tinha para responder, a diretoria palmeirense avisou que estava disposta a cobrir. Ou seja, por não conseguir um acerto prévio, o Palmeiras precisará pagar mais que R$ 12,4 milhões acertados anteriormente com o Benfica.

Os palmeirenses trabalham com a ideia que o time do Morumbi fará mais uma proposta ao time português, que tem os direitos econômicos de Kardec, na casa dos R$ 15 milhões. O São Paulo foi procurado para comentar o assunto, mas nenhum diretor se pronunciou. Marcos Casseb também foi procurado, mas não atendeu aos telefonemas, tampouco respondeu às mensagens de texto enviadas para seu celular.

QUANTO O PALMEIRAS QUER PAGAR DE COMISSÃO?

Além de pagar um valor menor de comissão, Paulo Nobre pretendia dividir o pagamento em duas vezes. O primeiro acordo, feito na chegada do atacante em 2013, dizia que o Palmeiras pagaria R$ 1,25 milhão apenas se optasse por comprar os direitos do atleta agora, em junho de 2014.

Na hora de efetuar o negócio, no entanto, o cartola palmeirense pediu uma mudança no acordo e fez proposta de pagar 50% agora, na negociação com o Benfica, e outros 50% futuramente, caso o atacante fosse transferido para um terceiro clube.

A nova diretoria do São Paulo assumiu o cargo na semana passada e já arranjou seu primeiro inimigo. Os palmeirenses não se conformam com a postura do time do Morumbi e prometem contra-atacar. Ao canal Fox Sports, o presidente são-paulino, Carlos Miguel Aidar, admitiu interesse em contratar o atacante, mas afirmou que só agirá após o fim do vínculo do artilheiro com o Palmeiras.

POR QUE O VALOR DA MULTA ESTÁ MUDANDO?

O contrato entre Palmeiras e Benfica estipula que o valor fixado para a aquisição de Alan Kardec é de 6 milhões de euros (R$ 18,6 milhões). Verbalmente, no entanto, os presidentes dos dois clubes acertaram que o valor poderia ser R$ 12,4 milhões caso nenhum outro clube fizesse uma proposta.

Como o São Paulo oficializou seu interesse ao Benfica, o Palmeiras é obrigado a igualar o valor para seguir com o direito de compra.

Um jeito de vencer a concorrência de maneira definitiva para os palmeirenses seria a oferta de 6 milhões de euros. Com esse investimento, nenhum outro clube teria o direito contratual de acertar com o time português. O problema para o time alviverde seria acertar os salários com o atacante.

Essa novela tem data para acabar: 31 de maio de 2014, quando o Palmeiras precisa, obrigatoriamente, se acertar com o jogador e também com o Benfica.

KARDEC JÁ É DO SÃO PAULO?

A diretoria palmeirense trata com muito pessimismo a chance de permanência de Alan Kardec, mas ainda não há uma certeza que ele vá para o São Paulo. A grande dificuldade é que os diretores não conseguem nem se reunir com o artilheiro do Campeonato Paulista.

Caso conseguisse, o Palmeiras poderia convencer o atleta a negociar diretamente com o clube, sem um intermediário. É por isso que o estafe evita que o atacante converse com dirigentes palmeirenses.

Além disso, outros times também ainda tem interesse no futebol do jogador. O Corinthians, por exemplo, já manifestou que gostaria de contar com esse reforço.

A reviravolta na negociação aconteceu porque Paulo Nobre preferiu não dar o “ok” para a proposta acertada entre o estafe do jogador e seu diretor-executivo, José Carlos Brunoro. Em uma reunião no fim da última semana, as partes haviam se entendido nas propostas salariais, mas o presidente palmeirense, que estava no Rio de Janeiro para a eleição para presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), voltou a São Paulo e preferiu tentar barganhar cerca de R$ 20 mil mensais. A atitude revoltou o jogador, seus empresários e até mesmo parte da diretoria alviverde.

Desde então, Kardec e seu pai estão escutando propostas de outras equipes e gostaram do que ouviram do São Paulo. Mais do que isso: nem atendem aos telefonemas da diretoria palmeirense. Antes de chegar a esse ponto, Alan Kardec já havia topado diminuir sua pedida salarial em três ocasiões. Nem mesmo toda essa força de vontade foi capaz de comover Nobre, que preferiu manter a política de austeridade financeira.

Na última quinta-feira, o camisa 14 deixou o treino alegando gastrite. O curioso é que ele havia conversado rapidamente com o gerente de futebol, Omar Feitosa, antes de ter o problema.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.