São Paulo pega o Bahia na Sul-Americana e tenta mudar histórico de fracassos em mata-mata

O São Paulo inicia nesta quarta-feira sua 17ª tentativa em seis anos e meio de não fracassar em torneios mata-mata. Desde 2006, o time do Morumbi não consegue ganhar títulos em campeonatos desse tipo. A conta inclui edições do Estadual, da Copa do Brasil, da Libertadores e da Copa Sul-Americana, pela qual a equipe tricolor enfrentará o Bahia, às 21h50, em Salvador. Neste período, o clube conseguiu levantar três títulos do Campeonato Brasileiro, todos disputados no formato de pontos corridos.

Entre os oito participantes brasileiros na Sul-Americana-2012, o São Paulo é o que está há mais tempo sem ganhar taças em torneios com fases eliminatórias. De 2006 para cá, Botafogo, Grêmio, Coritiba, Bahia e Figueirense foram campeões estaduais. Palmeiras e Atlético-GO, além disso, ergueram taças da Copa do Brasil e da Série C do Brasileiro. A última vez que o São Paulo foi campeão após uma final “real” foi em 2005, quando ganhou o Mundial de Clubes.

Nenhuma torcida de time grande do país está há tanto tempo longe de uma finalíssima. O time tricolor começa nesta quarta uma caminhada de até dez jogos que pode levar ao título da segunda competição mais importante da América. Ou a mais um fracasso em jogos eliminatórios. Só em 2012, foram dois: queda nas semifinais do Paulista e da Copa do Brasil.

Perguntado sobre a maneira ideal de entrar em campo em torneios desse tipo, o meio-campista Jadson foi taxativo: “São dois jogos, duas finais. Cada mata-mata é uma final. Não podemos bobear no primeiro jogo. Neste ano, temos que conseguir levantar alguma taça ainda, né? Temos que disputar a Sul-Americana com a maior seriedade. Vamos com tudo para tentar chegar às finais”, afirmou o jogador, um dos mais experientes entre os que entrarão em campo. O campeão do torneio ganha vaga direta na Libertadores do ano seguinte.

JUVENTUDE X EXPERIÊNCIA

Além de Jadson, Rogério Ceni e Luis Fabiano estão confirmados para o duelo. Mas se o técnico Ney Franco vai contar com atletas rodados e experientes na estreia da competição internacional, também vai precisar lidar com um grupo de jovens no banco de reservas. Sem contar com o time titular, o São Paulo tem elenco com média de idade de 21 anos. Entre os suplentes, por exemplo, há garotos como os laterais Lucas Farias, de 17 anos, e Henrique Miranda, de 19. Eles são os únicos reservas para os titulares pelos lados do campo, Douglas e Cortez.

Ter um grupo qualificado e capaz de suportar uma sequência intensa de jogos vai se tornar ainda mais importante porque o time vai precisar se dividir entre duas competições. Por enquanto, ninguém fala em priorizar Brasileiro ou Sul-Americana. Mas com desenrolar dos torneios e com os resultados obtidos, é natural um deles ser deixado um pouco de lado.

“As duas competições são muito importantes”, afirmou o lateral Cortez. “Não temos de priorizar, vamos usar força máxima nas duas. Tem de entrar com a mentalidade de fazer um bom jogo contra o Bahia e, no domingo, já tem outro jogo contra o Sport. Não tem de poupar, tem de entrar com tudo.”

No Bahia, a realidade é diferente. O time de Salvador poupará três titulares para o jogo do fim de semana pelo Brasileiro, já que na competição nacional os baianos lutam para deixar a zona de rebaixamento. Ávine, Mancini e Fabinho não enfrentarão o São Paulo para aprimorar a forma física pensando no duelo contra o Grêmio, domingo, pelo Nacional. Com vários desfalques, o técnico Caio Junior estreará um esquema novo, com dois centroavantes, Júnior e Souza.

O último confronto entre São Paulo e Bahia foi um incrível 4 a 3, com duas viradas, pelo Brasileiro de 2011.

FICHA TÉCNICA – BAHIA X SÃO PAULO

Data: 1º de agosto de 2012 (quarta-feira)
Horário: 21h50 (de Brasília)
Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador (BA)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
Assistentes: Dibert Pedrosa e Rodrigo Joia

BAHIA: Marcelo Lomba; Gil Bahia, Danny Morais, Titi e Gerley; Fahel, Diones (Victor Lemos), Hélder e Zé Roberto; Júnior e Souza
Técnico: Caio Junior.

SÃO PAULO: Rogério; João Filipe, Rhodolfo e Rafael Toloi; Douglas, Rodrigo Caio, Maicon, Jadson e Cortez;  Ademilson e Luis Fabiano.
Técnico: Ney Franco

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*