São Paulo encontra dificuldade para fechar negócio com Lucca

A negociação do São Paulo com o Criciúma para ter o meia-atacante Lucca está complicada. A equipe catarinense quer usar o assédio ao jogador, que foi destaque na Série B, para montar o time para a próxima temporada. E o Tricolor não tem muitas opções de atletas para oferecer em troca.

Na última sexta-feira, as duas partes se reuniram na capital paulista, mas as conversas não avançaram. A diretoria são-paulina colocou alguns jogadores à disposição, mas apenas um interessou ao Criciúma. Uma outra equipe também quer a revelação catarinense e já chegou a oferecer cinco atletas no negócio, o que agradou aos dirigentes.

No momento, o São Paulo está atrás. Mas a DIS pode ajudar. A empresa, que foi determinante para a contratação de Paulo Henrique Ganso, cuida da carreira de Lucca e quer ver o jogador no Morumbi. Para isso, alguns atletas que têm os direitos econômicos ligados à DIS podem ser envolvidos para chegar ao que o Criciúma pretende receber.

Os catarinenses avaliam Lucca em R$ 7 milhões. Ele está se recuperando de uma cirurgia no joelho esquerdo, após romper ligamentos. A operação foi realizada no início de novembro e a previsão é de que ele tenha condições de jogar apenas em maio. Lucca marcou 11 gols na disputa da Série B deste ano.

Fonte: Lance

Um comentário em “São Paulo encontra dificuldade para fechar negócio com Lucca

  1. Que atração que o São Paulo tem por comprar jogadores machucados. . . .
    Parece obsessão. Até maio (previsão) para voltar a jogar; depois mais 03 meses de preparação para alcançar o nível dos demais jogadores do elenco. Daí duas opções: ou o time está indo bem e ninguém vai mexer ou o time está caindo pelas tabelas e ele vai entrar com a obrigação de “resoslver” e nós sabemos bem como isso termina. Enfim: deixe o Lucca no Criciuma até ele provar que, realmente, é jogador diferenciado e, assim, poderá jogar no tricolor (afinal marcar gols na segundona é detalhe).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*