Piñatares estimula disputa interna e vira trunfo do São Paulo

Sempre que possível, Diego Aguirre gosta de destacar o empenho e o bom condicionamento dos jogadores do São Paulo, que lidera o Campeonato Brasileiro. Grande parte dessa disposição dos tricolores está ligada ao trabalho do preparador físico Fernando Piñatares. Linha dura, ele conseguiu impor a sua metodologia de trabalho e reduzir o número de atletas lesionados no departamento médico.

No dia a dia, o uruguaio não alivia para os são-paulinos. A intensidade nos treinos simula o ritmo que os atletas apresentam nas partidas. Ainda assim, os casos de lesões musculares – como a de Everton, que sofreu estiramento na coxa esquerda e deve desfalcar o time ao menos nos próximos dois jogos – não são frequentes.

Uma estratégia utilizada por Piñatares que não é considerada muito usual, por exemplo, é a redução do intervalo entre a partida e a reapresentação dos jogadores. Por exemplo, no mesmo dia após a viagem de retorno da Argentina, onde o Tricolor havia disputado jogo da Copa Sul-Americana, os atletas se reapresentaram para treinar no CT da Barra Funda.

As atividades costumam ser bastante intensas, mas com duração mais curta do que as comandadas por outros preparadores. Um ponto que também motiva os atletas é o estímulo para a competição interna, de forma sadia. Ainda dentro da programação, a realização de jogos-treino, como o desta segunda-feira, contra o Nacional, serve para dar ritmo para todo o elenco.

Apesar de ser bastante exigente, o preparador mantém bom relacionamento com os pupilos. Formado em educação física, ele chegou a iniciar a carreira como jogador, na base do Danubio-URU, mas por causa de uma lesão passou a se dedicar mais aos estudos. Na função, estreou no futebol profissional em 2001, pelo Peñarol-URU.

“A preparação física do São Paulo é excelente, você vê que é uma equipe com poucas lesões, mesmo em um calendário tão difícil quanto é o brasileiro, que tem jogos de quarta e domingo. Você percebe também que quem está fora da equipe e tem a oportunidade, entra muito bem. Eles procuram manter todos muito bem para quando for necessário, a pessoa corresponder”, disse o zagueiro Bruno Alves.

A parceria com Aguirre teve início em 2007, na seleção de base do Uruguai. No Internacional, em 2015, veio um momento turbulento para Piñatares. O condicionamento dos jogadores e a metodologia de trabalho do preparador foram criticados e considerados até um dos motivos para a demissão de Aguirre no Colorado. Um diretor chegou a dizer que a equipe estava “desgastada e mal preparada”. Um questionamento recorrente era de que o time perdia rendimento durante o segundo tempo. Ainda assim a dupla permaneceu unida em 2016, no Atlético-MG, e no ano seguinte no San Lorenzo-ARG.

 

Fonte: Uol

2 comentários em “Piñatares estimula disputa interna e vira trunfo do São Paulo

  1. Fazia tempo que nao tinhamos uma preparacao fisica,
    pra valer, era meia boca, a equipe morria por isso nao tinha intensidade,
    ficavam enrolando o jogo e eramos presa facil, continue assim
    tem mesmo que dar aos atletas o que ele precisam, energia para buscar
    sempre o resultado. Tem o meu apoio hermano Pinatares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*