Ordenado a levar Seleção ao Morumbi, Andrés nega briga com São Paulo

Agora na Confederação Brasileira de Futebol, Andrés Sanchez precisou esquecer o histórico de inimizade política com o São Paulo, do tempo em que presidia o Corinthians, para acertar arealização de um amistoso do selecionado nacional contra o Chile no Morumbi.

Além de jogar no estádio, que deixou de ser utilizado pelo Corinthians a partir da gestão de Andrés, a equipe deverá treinar no CT de Cotia, também de propriedade do clube tricolor. Algo inimaginável se a decisão fosse exclusiva do agora diretor de seleções da CBF.

Em participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, apesar de dizer que a decisão foi de José Maria Marin, sucessor de Ricardo Teixeira na presidência da entidade e conselheiro do São Paulo, ele disse não ver problema em levar a Seleção ao Morumbi, em setembro.

“Não tem nenhuma briga ou rusga com o São Paulo. Decidi não jogar lá enquanto presidente do Corinthians por mil razões. Mas não tenho nenhum problema com ninguém do São Paulo. Como diretor de seleções, tenho que ver o que é melhor para a Seleção Brasileira”, explicou. “Ele (Marin) não pediu, determinou”, brincou, logo em seguida.

A ordem do presidente de utilizar a estrutura são-paulina também para treinamentos rendeu gozação, já que Andrés dificilmente pisaria no CT de Cotia em qualquer outra situação.

“Se vai jogar no Morumbi, nada mais justo do que treinar no CT do São Paulo, em Cotia, que fica próximo. Não tem problema nenhum em ir lá também. Vou levar sal grosso (risos), mas não tem problema. E vou almoçar com o Juvenal (Juvêncio, presidente do São Paulo e desafeto político durante seu período como mandatário do Corinthians)”, concluiu.

Fonte: Gazeta  Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*