No campo, não tem conversinha ao pé do ouvido, diz Maicon sobre Muricy

Maicon não tem fama de ser, exatamente, um dos jogadores mais contidos do São Paulo. No final de março, ele se envolveu em uma briga com o companheiro de posição Fabrício durante um treinamento. Nesta semana, foi a vez do seu treinador se ver em meio a uma polêmica: a invasão de campo de Muricy Ramalho para chamar a atenção de Boschilia pegou mal e ainda é tema de especulações e debates no São Paulo.

Há quem ache que Muricy fez o que fez de caso pensado por causa de um descontentamento com o trabalho feito no CT de Cotia (Boschilia veio das categorias de base do São Paulo), há quem garanta que não passou de uma explosão do treinador, conhecido pela espontaneidade. Para o volante brigador Maicon, nada saiu da normalidade: “As broncas fazem parte do futebol. Aqui não dá pra pedir ‘por favor, meu filho’, chegar falando no ouvido. Ali é o calor do jogo”.

Para Maicon, além de “levar os três pontos”, o importante é se acertar no vestiário e bola pra frente. “Acho que a cobrança tem que existir sempre. Quando acabar o jogo, os três pontos têm que estar com a gente, porque aí todo mundo estará feliz”, disse Maicon em defesa de Muricy.

Fato é que o São Paulo ainda não engrenou no Campeonato Brasileiro como se esperava. Foram seis pontos conquistados até agora de 12 disputados. Com o elenco montado no começo do ano, a ideia era passar pelas primeiras rodadas com um aproveitamento maior do que 50%. Maicon, no entanto, não vê motivo para ansiedade: “Ainda é início de campeonato. Sabemos que há equipes com três, quatro pontos na frente, mas ainda tem muito para acontecer. Estamos crescendo nos jogos, diferentemente do ano passado”.

Questionado sobre qual seria essa diferença do São Paulo de 2014 para o de 2013, Maicon explicou: “A gente estava num momento difícil e, às vezes, tomávamos um gol num jogo e já ficava mais complicado de reagir. Neste ano, a gente toma um gol e vai lá, vira, faz outro, ganha o jogo ou então empata”.

Para Maicon, a entrega, a luta e a disposição têm sido maiores neste ano: “Se continuar neste ritmo, daí pra melhor, vamos crescer e atingir nosso objetivo”.

Ainda assim, é nítido o esforço do técnico Muricy Ramalho para colocar o time no lugar e transformar potencial em realidade. O que ajuda a explicar, ainda que não justifique, o descontrole que levou Muricy a invadir o campo para dar bronca em um dos seus pupilos.

 

Fonte: Uol

Um comentário em “No campo, não tem conversinha ao pé do ouvido, diz Maicon sobre Muricy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*