Ney reconhece carência no ataque, mas não vê opções no mercado

Primeiro foi a defesa, que vinha tomando muitos gols, mas melhorou a partir do momento em que Ney Franco implantou de vez o esquema 3-5-2 no São Paulo. Agora é o ataque que está tirando o sono do treinador. Não pelo desempenho em campo (foram marcados 12 gols em seis partidas), mas pela falta de opções momentânea.

Lucas está na seleção brasileira que disputa as Olimpíadas de Londres. Osvaldo sofreu uma lesão na coxa direita e tem mais duas semanas de recuperação pela frente. Agora o problema é com Luis Fabiano. O camisa 9 sentiu uma fisgada na coxa esquerda no primeiro tempo da partida contra o Bahia, quarta-feira passada, em Salvador, pela Copa Sul-Americana, e não tem data para voltar.

Para ter uma ideia da quantidade de desfalques, Ademilson e Willian José formarão a dupla de ataque contra o Sport, domingo, às 16h, no Morumbi, pelo Brasileirão. No banco, apenas uma opção para o setor: Rafinha, que foi trazido do CT de Cotia para o time profissional por Emerson Leão no começo da temporada e ainda não conseguiu convencer nas oportunidades que recebeu.

Como a janela internacional de transferências fechou no dia 20 de julho, o clube poderá buscar reforços para o setor apenas no mercado brasileiro, trazendo atletas que estão na Série A, mas ainda não disputaram sete jogos ou apostas que disputam a série B. Opções que, no momento, não agradam ao técnico Ney Franco.

– Eu falo que precisamos de reforço, mas trazer quem? Não adianta trazer só por trazer. Tem de ser alguém que possa brigar para ser titular. Temos de ficar atentos principalmente à Série B, mas o mercado não está mostrando algum jogador com garantia de sucesso – ressaltou.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*