Ney explica 3-5-2: sobram zagueiros e faltam atacantes no elenco

Após usar a base de Emerson Leão e não conseguir vitória em seus dois primeiros jogos no São Paulo, Ney Franco resolveu usar o 3-5-2vitorioso no período interino de Milton Cruz. Mas garante que a mudança não tem nada a ver nem com os constantes papo com o coordenador técnico. O motivo, além de maior marcação, é o elenco ter seis zagueiros à disposição e só três atacantes para enfrentar o Figueirense, no domingo.

“É em função dos atletas à disposição. A zaga é a posição com mais jogadores do elenco, temos sete com o Bruno (Uvini). Já no ataque tenho minhas peças de reposição reduzidas a três. O objetivo é dar maior consistência e definição de zonas de marcação. Para as peças que temos, é a melhor maneira”, argumentou o treinador.

Existem tantos zagueiros que, mesmo com Bruno Uvini na Seleção Brasileira e escalando João Filipe, Rafael Toloi e Rhodolfo entre os titulares, o técnico não teve espaço para Luiz Eduardo no treino desta sexta-feira, já que Paulo Miranda e Edson Silva já estavam na equipe reservas. Para o ataque, com Lucas à disposição de Mano Menezes, Osvaldo machucado e Luis Fabiano como dúvida, restam só Rafinha, Ademilson e Willian José – os dois primeiros devem iniciar o jogo em Florianópolis.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Técnico deixa base de Leão para optar no esquema que foi vencedor com Milton Cruz

“Eu gostaria de jogar no 4-2-3-1 como o mundo todo está jogando, mas o momento está pedindo para mudar a forma de jogar”, declarou Ney Franco. “Visando o próximo jogo, achamos que é a melhor formação e tomara que dê certo. Se sentirmos que o potencial é esse, vamos manter até quando acharmos que é vencedora”, avisou.

 

O comandante faz questão, entretanto, de desatrelar sua ideia de mudar o time da comparação com o sucesso de Milton Cruz, vencedor nos dois jogos à frente do time entre a demissão de Emerson Leão e a chegada de Ney Franco. “Estou sempre conversando com o Milton sobre sistema de jogo, mas isso não foi determinante para a mudança, e sim o momento que vivemos.”

Para garantir sua participação na alteração da equipe, Ney Franco reforça o pedido por empenho na marcação. “Independentemente de ser 3-5-2, 4-3-3 e 4-5-2, se não tiver envolvimento no jogo, não adianta. Se entrar em campo e observar o adversário jogar sem marcar, vamos cair na vala comum de mais um jogo ruim”, apontou o técnico que, até agora no São Paulo, empatou com um Palmeiras desfalcado e com um a menos desde o início do segundo tempo e perdeu do Vasco no Morumbi.

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “Ney explica 3-5-2: sobram zagueiros e faltam atacantes no elenco

  1. Quantidade não é sinônimo de qualidade.

    Eu queria me desligar do assunto futebol, e ligar novamente no último dia do mandato desse maldito Presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*