Na cola do Cruzeiro, Muricy acredita no título: “Tudo pode acontecer”

A vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre o Bahia, neste sábado, no Morumbi, deixou o time na vice-liderança do Brasileirão, com 52 pontos, quatro a menos do que o líder Cruzeiro – o time mineiro vai jogar neste domingo, contra o Vitória, em Salvador. Na perseguição da Raposa, o técnico Muricy Ramalho não desiste da conquista do título do Brasileirão.

– Tudo pode acontecer no Brasileirão. Os times oscilam muito. Conversamos sempre que o Cruzeiro erra pouco, porque é o mais preparado. Há dois anos está assim, só contrata peças pontuais, porque não precisa muito. Esse é o segredo de um time campeão. No ano que vem estaremos melhor, porque teremos uma base, diferente do que aconteceu no começo do ano. Tudo é possível. Temos de fazer a nossa parte, sem olhar para o adversário – disse.

Diante do Bahia, o São Paulo abriu o placar com gol de falta de Rogério Ceni e selou a vitória com Ganso – Fahel descontou para o Bahia. Na comemoração do gol, o camisa 10 do Tricolor vibrou muito, postura elogiada por Muricy.

– O Ganso não tem esse tipo de reação. Ele é muito tranquilo, até quieto demais. Mas é legal. Tem de ser competitivo mesmo. Para ele cavar um espaço na Seleção, e o Dunga certamente dará essa oportunidade, tem de sofrer e ser competitivo. Jogador tem de sair esgotado de campo e vibrar bastante. É legal ele fazer isso. Tem de tomar gosto pelo gol. O gol que ele fez no Chile (contra o Huachipato, pela Sul-Americana) é brincadeira.  Com três meias, precisamos que finalizem mais. O Michel (Bastos) também. No Chile foram gols de meia. Ele está gostando disso e é bom para nós – elogiou.

Muricy, por fim, voltou a elogiar Rogério Ceni, mas disse não acreditar na possibilidade de o ídolo repensar sua aposentadoria para o final desta temporada. Durante o jogo deste sábado, a torcida pediu para o goleiro seguir jogando.

– Agora ele sente dores. Não adianta falar para ele descansar em um treino. Ele é muito intenso e profissional no que faz. Mas machuca também. Jogo também não é fácil. No ano passado, eu comecei essa conversa, porque estava definido que ele pararia, e todos compraram a ideia. Mas acho que se sentia melhor. Agora parece estar preparado para não continuar. Mas tecnicamente continua sendo um dos melhores do Brasil – finalizou.

Agora, o São Paulo volta a campo quarta-feira, às 22h, contra a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó (SC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*