Muricy contraria torcida e vê Ceni decidido a parar por dores

O gol de falta de Rogério Ceni na vitória deste sábado sobre o Bahia motivou a torcida do São Paulo a pedir para que o goleiro de 41 anos não se aposente ao fim da temporada, como ele próprio já anunciou que fará. Muricy Ramalho, contudo, duvida que a decisão seja revogada, ao contrário do que ocorreu no ano passado.

“Ele sente algumas dores. Ele é muito intenso no que faz, muito profissional, só que isso dói, machuca. No ano passado, fui eu quem comecei a conversa, todo o mundo comprou a ideia, e ele mudou de ideia, mas acho que ele se sentia melhor. Agora, parece que ele está preparado para não continuar”, disse o treinador, no Morumbi.

“Mas, tecnicamente, ele continua sendo um dos melhores do Brasil, porque encurta o caminho da bola, faz defesas incríveis. Só que a gente está vendo que dói uma coisa nele”, completou, referindo-se muito provavelmente à tendinite no joelho esquerdo que o tirou de combate recentemente em dois jogos, um deles o clássico contra o Corinthians, em Itaquera.

Neste sábado, quando o placar ainda não havia sido aberto, Ceni cobrou uma falta pouco atrás da meia-lua da grande área, aos 40 minutos, e colocou a bola no ângulo direito do goleiro Marcelo Lomba. Desde o início do ano, ele só havia feito gol em cobranças de pênalti. “Ô, ô, ô, não para, Rogério”, gritaram os torcedores, assim que a bola tocou a rede.

“Em bola parada, a gente pode ajudar. Foi um gol bonito. Neste ano, ainda não tinha saído (de falta), mas não deixo de trabalhar. A falta também foi em uma posição boa. A barreira estava um pouco próxima, mas a posição era boa”, comentou o jogador, cujo último gol de falta até então havia sido em 14 de julho de 2013, em derrota para o Vitória, em Salvador.

Contra o Bahia, o capitão são-paulino – e 11º maior artilheiro do clube, agora com cinco gols a menos do que Raí – já havia marcado três vezes (em 2011, 2012 e no primeiro turno desta edição do Campeonato Brasileiro).

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*