Lesão, expulsão e impaciência: como Luis Fabiano foi do céu ao inferno

Um Luis Fabiano com seu conhecido faro apurado para o gol, presença constante em campo e disciplinado como há muito se esperava do camisa 9. Um Luis Fabiano que pouco incomoda os goleiros rivais, tem dificuldade de se recuperar fisicamente e cujo temperamento o leva a atitudes infantis no gramado. Entre um e outro, uma lesão que tirou o atacante do céu e o colocou diretamente no inferno.

O primeiro semestre do jogador em 2014 fez jus a seu apelido, Fabuloso. Mesmo os mais críticos reconheciam o bom momento com a camisa tricolor. Atuou em quase todas as partidas do São Paulo e foi um tormento para os defensores adversários – 15 gols em 27 jogos. Números tão bons que o mantêm como artilheiro tricolor na temporada até agora e que fizeram alguns citarem seu nome como opção para a seleção brasileira que disputaria a Copa do Mundo em casa.

Mas Felipão o ignorou e, ao invés de disputar seu segundo Mundial, o atleta partiu com o clube para um período de treinamentos nos EUA. Em amistoso contra o Orlando City, sofreu um estiramento na coxa. Foram cinco semanas de tratamento e uma nova dor no mesmo local. O retorno ao time, três meses depois, trouxe à tona o outro Luis Fabiano.

Na segunda metade de 2014, só cinco jogos e um único gol. Atuações apagadas e nervosismo. No último fim de semana, reclamou de estar no banco e inflamou um ambiente que já estava abalado pelos maus resultados recentes. Dias depois, ganhou chance como titular, mas deixou o campo expulso pela primeira vez no ano com apenas 32 minutos de jogo.

De titular absoluto, Luis Fabiano se transformou num reserva de luxo. A chegada de Kaká e a formação do quarteto ofensivo ao lado de Paulo Henrique Ganso, Alan Kardec e Alexandre Pato fizeram todo torcedor são-paulino se questionar: onde encaixar o artilheiro do time na temporada?

Mas a produção dos colegas de ataque arrefeceu e o clube sentiu – somou quatro jogos sem vitória no Brasileiro. Pela Copa Sul-Americana, contra o Huachipato, do Chile, na última terça-feira, o camisa 9 começou como titular. Parecia o momento certo para ganhar e agarrar a oportunidade recebida. Mas o Fabuloso, agora não tão fabuloso assim, colocou tudo a perder.

Luis Fabiano expulso (Foto: Marcos Ribolli)Na Sul-Americana, o primeiro cartão vermelho do atacante no ano (Foto: Marcos Ribolli)

Pouco mais de meia hora depois de entrar em campo, agrediu o volante rival Arrué na cara do árbitro. Levou cartão vermelho, direto, seu 14º com a camisa são-paulina. Fato que rendeu multa,críticas e um alerta do vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro.

– Espero que isso sirva como um alerta para o Luis Fabiano, que estava muito nervoso em todas as partidas. Ele é um grande jogador e não podemos prescindir dele dentro de campo. Acredito que a multa em dinheiro o fará pensar. Ele é uma pessoa excelente do lado de fora. Estamos punindo para que ele pense duas vezes antes de fazer bobagem novamente – afirmou o dirigente.

Com contrato até dezembro de 2015, Luis Fabiano está nos planos do dirigente. O fato de ter rompido com seu agente, José Fuentes, deixa clara a ideia do jogador de se aposentar no Morumbi. Mas, para isso, balançar as redes adversárias não basta mais. É preciso, também, manter a calma dentro e fora de campo.

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Lesão, expulsão e impaciência: como Luis Fabiano foi do céu ao inferno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*