José Francisco Manssur renuncia cadeira no Conselho do São Paulo

O advogado José Francisco Manssur, ex-vice-presidente de Comunicação e Marketing na primeira gestão Leco, renunciou sua vaga no Conselho Deliberativo nesta terça-feira. A carta foi entregue à Secretaria do Conselho e tem caráter irrevogável. É a primeira baixa após aprovação da Assembleia Geral, no último sábado, da alteração estatutária, que proíbe conselheiros exercerem função remunerada dentro do clube, mas que passa a valer somente em abril de 2020.

Manssur renunciou porque o escritório do qual participa da sociedade, Ambiel, Manssur, Belfiore & Malta, foi contratado pelo São Paulo para prestar serviços jurídicos ao clube. Ele afirmou que, apesar de ter ficado claro que o trabalho será feito pelos advogados Carlos Eduardo Ambiel e Marcel Belfore – ele não aparecerá nas procurações -, por ser fundador e sócio do escritório, entende ser incompatível com sua conduta no Conselho Deliberativo, já que votou pela mudança no estatuto e defendeu seu voto na Assembleia Geral.

O advogado afirma que “ao tomar a decisão meu coração alcançou inesperada serenidade. Possivelmente, porque vieram a mim as lembranças dos anos em que fui extremamente feliz sendo exclusivamente torcedor do São Paulo – condição que ostento desde os primeiros dias de consciência -e que nunca deixei de ser, antes e par além de ser associado, conselheiro ou dirigente do clube, ainda que conciliando com essas outras funções”, concluiu.

José Francisco Manssur afirmou que não busca com isso pressionar outros conselheiros, remunerados no clube, a terem a mesma atitude.

Manssur, no entanto, não renunciou à função de colunista do “Assunto Legal” da Rádio Tricolornaweb.

 

Veja a carta de renúncia

 

São Paulo, 28 de maio de 2019

Ilmo. Sr. Presidente do Conselho Deliberativo, prezadas Conselheiras e prezados
Conselheiros,

Após negociações mantidas entre a Presidência do São Paulo Futebol Clube e o Dr. Carlos
Eduardo Ambiel, das quais não participei em nenhum momento, o Clube formalizou a
contratação do Escritório de Advocacia Ambiel, Manssur, Belfiore & Malta Advogados, que
passará a prestar serviços jurídicos ao São Paulo. O contrato assinado tem cláusula expressa
mencionado que tais serviços serão prestados diretamente pelos advogados Carlos
Eduardo Ambiel e Marcel Belfiore. No que me diz respeito pessoalmente, meu nome
sequer constará das procurações a serem dadas ao Escritório pelo São Paulo FC., o que mitiga
qualquer possibilidade de eu vir a participar da prestação de serviços.

De todo modo, por ser sócio fundador de Ambiel, Manssur, Belfiore & Malta Advogados, ,
mesmo que a prestação de serviço venha a ser realizada diretamente por outras pessoas que
não eu, DECIDO, por mera liberalidade, por mandamento da minha consciência, por
coerência em relação às minhas convicções e os votos que dei no Conselho Deliberativo e
na Assembleia Geral de Associados do último dia 25.5.2019, sempre favoráveis à mudança
do Estatuto Social para restringir a prestação de serviços por conselheiros e, ainda,
independente da eventual existência de precedentes envolvendo outros conselheiros cujas
firmas ainda prestam serviços ao São Paulo, RENUNCIAR ao cargo de Conselheiro do São
Paulo Futebol Clube para o qual fui eleito para mandato até 2020.

Confesso que ao tomar tal decisão meu coração alcançou inesperada serenidade.
Possivelmente, porque vieram a mim as lembranças dos anos em que fui extremamente feliz
sendo exclusivamente TORCEDOR do São Paulo Futebol Clube – condição que ostento
desde meus primeiros dias de consciência – e que nunca deixei de ser, antes e para além de
ser associado, conselheiro ou dirigente do Clube, ainda que conciliando com essas outras
funções. Nesta oportunidade, agradeço, ainda, aos 647 associados que me honraram com
seus votos em 2014. Por estar agindo conforme uma reinvindicação dos associados, também
refletida no resultado da Assembleia Geral, sobre esses tema da prestação de serviços por
conselheiros, sei que compreenderão minha decisão. Mesmo sem ser conselheiro, seguirei
lutando por aquilo que acredito seja o melhor para a Instituição. Peço desculpas a quem
porventura possa ter magoado ao longo dessa trajetória e lamento pela falta que vou fazer
àqueles que tanto se ocupam de mim. Espero que encontrem outro ofício e que seja mais
produtivo aos interesses da Instituição.

Como mensagem final, gostaria de transmitir uma palavra que, ao menos para mim, enche
de esperança. Com minha experiência de mais de duas décadas trabalhando com esporte,
posso afirmar com segurança que profundas mudanças na forma de administração dos clubes
de futebol acontecerão muito antes do que imaginamos e serão muito maiores do que
acreditamos. Estão contados os dias de gestão pela política dos clubes de futebol, de poder
exercido por um contingente de associados e conselheiros que representam menos de 1% do
número total de torcedores e do presidencialismo de cooptação justificado pela necessidade
de governabilidade. Vem aí um novo Futebol Brasileiro, com governança, gestão, métodos
empresariais, organização e pujança e, com ele, ou antes dele – já que sempre fomos
vanguarda – o São Paulo retomará, como só poderá ser, sua Gloriosa História de vitórias, de
exemplo de gestão moderna, de títulos e alegrias para seus milhões de torcedores. “E esse dia
há de vir, antes do que Você pensa”.

Espero que quando a salutar mudança chegar, encontre todos os Senhores com saúde e
disposição para vivenciarmos e participarmos juntos do novo tempo que se avizinha. Deixo
aqui meu abraço e um até breve!

Do sempre e, para sempre, SÃO-PAULINO!
José Francisco Cimino Manssur

 

 

Paulo Pontes

10 comentários em “José Francisco Manssur renuncia cadeira no Conselho do São Paulo

  1. Esse aí era um dos capachos do homem que destruiu o SPFC por duas vezes, o cachaceiro safado do Juvenal, que está sentado no colo do capiroto, com certeza!!!
    Aquelas “gestões” que devastaram o clube teve a participação desse aí e do Lecú, ambos incompetentes, ainda recebia e vem dizer que ama o clube, Ah vá!!!
    Por causa desses senhores com apoio dos conselheiros que viramos a píada da década, a Chacota Futebol Clube.

  2. Isso é uma balela. Amor ao SPFC, recebendo $$ do SPFC? Semore trabakhiu pelo amir que eke tem, se recebesse. Deu uma tacada, para as próximas eleições. Ele está isolado dentro de um grupo nanico no SPFC. Não tem força e com isso, com essa brilhante atitude, vista por muitos, sai do ostracismo, já que seu desempenho como Conselheiro, foi insignificante.
    Veremos próximas piadas prontas?

  3. Parabéns e atitude digna. Demonstra grandeza de espirito e caráter.

    Tenho por mim que todo o problema no SPFC é seu Conselho Deliberativo.

  4. Toda atitude norteada pela ética deve ser aplaudida e elogiada. Parabéns Dr. Mansur!!! Permanecerei na expectativa de que outros “diretores” que atuam profissionalmente sigam esse caminho. A ética é indispensável em qualquer atividade econômica…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.