Jardine ‘esquece’ férias e iniciará curso da CBF na quarta-feira

André Jardine não quer saber de férias após ganhar a oportunidade da sua vida. Confirmado como treinador do São Paulo em 2019, ele irá iniciar um curso na CBF na próxima quarta-feira para se aprimorar profissionalmente. Neste ano, Jardine também viajou à Europa para acompanhar treinos e jogos de alguns dos principais clubes do continente.

“Praticamente não teremos férias. Eu, a partir de quarta-feira, já estarei no curso da CBF, também aproveitando esse período para reciclar, trocar ideias com os treinadores que estarão lá, mas também em contato praticamente diário com a direção para falar sobre reforços, enfim, tudo que precisamos para entregar em 2019 um São Paulo que a torcida quer, mas também que a direção quer”, afirmou.

André Jardine assumiu o comando técnico do São Paulo após a demissão de Diego Aguirre. O técnico uruguaio foi desligado do clube depois do empate em 1 a 1 com o Corinthians, em Itaquera. De lá para cá, o ex-auxiliar técnico tricolor esteve à beira do campo em cinco oportunidades, conquistando uma vitória, dois empates e outras duas derrotas. Antes disso, ele atuou como interino outras sete vezes, somando quatro vitórias, um empate e duas derrotas.

“Todos nós queremos um São Paulo superior ao que foi em 2018. Nesse ano já houve uma melhora em relação ao ano passado. O São Paulo precisa entrar com mais força em todas as competições, não entrar apenas para participar”, concluiu Jardine.

Agora, o elenco do São Paulo entra de férias e só volta aos trabalhos no próximo dia 3 de janeiro. No dia seguinte, a delegação tricolor embarca para os EUA, onde disputará a Copa Flórida contra o Eintracht Frankfurt, da Alemanha, e Ajax, da Holanda.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

7 comentários em “Jardine ‘esquece’ férias e iniciará curso da CBF na quarta-feira

  1. O quê um curso da CBF pode agregar para o Jardine??
    Sei que muitos não concordarão, mas na minha opinião o Jardine aprenderia muito mais sendo auxiliar técnico do Luxemburgo do que fazendo qualquer curso mesmo na Europa onde apenas assistiria treinos e ouviria palestras.
    Claro que a qualificação está atrelada à atualização para estar sempre no topo e conhecer novos conceitos , porém de qualquer forma existe tbm àqueles autodidatas que se sobressaem entre os estudados.
    Vide o Felipão com o Palmeiras que acabou de ser campeão.
    Quando o Telê chegou ao SPFC ELE tbm estava em baixa, recém mandado embora do Palmeiras com menos de 1 mês de trabalho e considerado o pé frio que tinha perdido 2 copas do Mundo com grandes elencos , porém com a bagagem e conhecimento que o SPFC precisava naquele momento, no qual o SPFC tbm estava em baixa.
    Mas que este curso seja apenas protocolo pq depois que começar o ano o que a torcida vai esperar é ao menos 1 título e não passar vexame no Brasileirão.
    Sei que o DNA do SPFC sempre foi “técnico-ofensivo” mas isso em tempos quando éramos além de super-bem-administrados o que nos tornava melhores remunerados do que os times adversários , o que nos permitia comprar os craques e pagar seus salários.
    Hoje somos um time com elenco mediano aonde sucesso está ligado mais a raça mais do que a técnica , por isso o Aguirre conseguiu vencer o 1°turno, enxergou a capacidade do elenco que era jogar reativamente no erro do adversário.
    As vezes querer impor um conceito de jogo aonde não existe a qualidade para isso é o que leva ao fracasso.
    Mas seja o que Deus quiser.

  2. Como os nossos jogadores sub 20 Andre Jardine vai fazer o curso e continuamos a nao ter time com jogadores de qualidade.
    precisamos de goleiro, lateral direito e esquerdo, volante, meia e dois atacantes.
    Ao meu ver tem um bom goleiro querendo voltar para o Brasil Rafael ex Santos F.C. ,
    hoje joga na Italia, L.D. M.Rocha do Palmeiras, L.E. Filipe Luis, volante Arthur do L.E.C. Meias Diego ou Everton Ribeiro ambos do Flamengo e atacantes Andre do grêmio e De Arrascaeta.

  3. para entregar em 2019 um São Paulo que a torcida quer, mas também que a direção quer”, afirmou.

    Essa última parte foi a que mais me assustou.
    O São Paulo que a Diretoria quer é aquele de 2016, em que vendemos mais de 110 Milhões de Reais em jogadores, toda a diretoria comeu caviar beluga com esse dinheiro e quase caímos para a Série B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*