Inspiração de Wellington e Denilson, Josué aprova dupla

Desde 2005, sempre que teve uma sólida dupla de volantes, o São Paulo conquistou títulos. Agora, em 2012, o resultado da competência de Wellington e Denilson no meio de campo pode ser o mesmo. A dupla atual se inspira em Mineiro e Josué, campeões mundiais pelo clube, para vencer o título da Sul-Americana e começar a marcar história no clube.

Para Josué, que, ao lado de Mineiro, conquistou Paulistão, Libertadores e Mundial, em 2005, além do Brasileirão em 2006, a nova dupla tem tudo para repetir o sucesso de outros anos. Hoje no Wolfsburg, da Alemanha, o antigo camisa 8 do Tricolor acompanha e elogia:

– Eu e o Mineiro somos vistos como quem plantou uma coisa bacana. Isso me dá um orgulho muito grande. Tive a oportunidade de conviver com o Denilson. Ele fez parte do elenco do Mundial, em 2005, que foi conosco para o Japão. A gente treinava e eu via que ele já estava pronto, com 17 anos. Já era um cara completo. Falei para ele: “Você vai ganhar muitos títulos, você é bom” – disse Josué, ao LANCE!Net, sem deixar o companheiro de Denilson atrás.

– Wellington eu venho acompanhando. Ele teve a lesão no joelho, ficou um tempo fora. É um ótimo volante e tem uma personalidade incrível. Ele chama a responsabilidade. Busca a bola no pé do zagueiro, tem um passe bom, tem uma marcação muito boa também – acrescentou.

E os elogios de Josué, que era visto por Wellington e Denilson como fonte de inspiração quando ainda estavam nas categorias de base do Tricolor (veja o relato da dupla abaixo), fazem sentido. Desde que a dupla entrou na equipe, o técnico Ney Franco consolidou o sistema de jogo com o 4-2-3-1, e a equipe disparou no Brasileirão e ganhou padrão de jogo.

Após a vitoriosa dupla formada por Mineiro e Josué, o São Paulo chegou a repetir o sucesso com Hernanes e Richarlyson, em 2007, e Jean e Hernanes, em 2008, que também ganharam título. A última inclusive, assim como Wellington e Denilson, era formada por dois atletas formados nas categorias de base do clube.

A aprovação de Josué para que a história se repita, Wellington e Denilson já têm. Na quarta-feira, contra o Tigre, na final da Sul-Americana, a dupla vai ao Morumbi como aposta, mas pode sair de lá na galeria de parcerias que renderam glórias ao clube. A primeira, desde 2008.

PARCERIAS VITORIOSAS

Mineiro e Josué: Ambos chegaram ao São Paulo no início de 2005, e logo fizeram sucesso. No mesmo ano, venceram o Paulistão, a Libertadores, o Mundial. Em 2006, foram campeões do Brasileirão.

Hernanes e Richarlyson: Assumiram as vagas após as saídas de Mineiro e Josué, em 2007. No São Paulo do técnico Muricy Ramalho, ganharam destaque, conquistaram o Brasileirão e chegaram à Seleção.

Jean e Hernanes: Jean assumiu a vaga de Richarlyson durante o Brasileirão de 2008, em momento de queda do São Paulo na tabela. A partir da mudança, a equipe mudou e conseguiu renovar o título.

Wellington e Denilson: Quaro anos depois, uma nova dupla surgiu. Assim que Ney Franco mudou o esquema e passou a usar só dois volantes, a dupla se firmou. No começo do ano, Wellington teve de passar por cirurgia no joelho esquerdo, e só retornou em agosto.

BATE-BOLA

Denilson, em entrevista ao LANCE!Net:

‘Treinar junto com eles valia como conselho’

“Eu estava no grupo campeão mundial em 2005, junto com Mineiro e Josué. Eram dois jogadores que faziam o simples, mas eram eficientes. Discretos e importantes. Os conselhos e as histórias vinham com o dia a dia. Quando era mais novo, só de treinar com eles e ver os dois jogando já valia como conselho para o futuro da minha carreira.

A comparação eu deixo com torcida e imprensa. É preciso ser campeão. Não adianta, às vezes, montar um supertime e não conseguir títulos. Quando a equipe é campeã a foto no pôster fica ali para sempre. Não tem como tirar. Acho que se conseguirmos o inédito título da Sul-Americana, vamos dar um passo para marcar nossos nomes na história do clube. É o que espero para quarta”

Wellington, em entrevista ao LANCE!Net:

‘Queremos colocar nosso quadro no CT’

“Sempre fui são-paulino, sempre acompanhei tudo do São Paulo. O Josué e o Mineiro foram dois grandes jogadores aqui, um completava o outro na marcação. Com o Denilson, busco isso também, da gente se procurar em campo. Fico feliz pela comparação com quem fez história no São Paulo, conquistou Brasileiro, Libertadores, Mundial. Espero que a gente possa escrever a nossa história. A do Wellington e do Denilson.

Nosso desejo é de colocar nosso quadro na parede do CT, como o do time de Josué e Mineiro e tantos outros que conquistaram títulos. Esperamos mesmo fazer isso. Quando tivermos nossos filhos, queremos voltar aqui e mostrar a eles que vencemos, porque a gente passa, mas o clube é eterno”

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*