Ganso diz que boa fase do São Paulo renderá volta à seleção após a Copa

Paulo Henrique Ganso, assim como em 2010, viu escapar a chance de disputar uma Copa do Mundo agora, em 2014. Irregular nos últimos meses de São Paulo, o meia conseguiu excelente atuação no último jogo, contra o Fluminense, quando marcou dois gols, e conseguiu uma sequência positiva de jogos. Agora, após ouvir de companheiros que é mais talentoso do que qualquer meia da seleção brasileira, Ganso espera um São Paulo que brigue por títulos para ser convocado no segundo semestre.

“Depois de todos os problemas que passei, posso ter uma chance após a Copa. Sou novo, muitas convocações vão acontecer. Espero jogar bem pelo São Paulo. No Brasileirão, chegando no topo da tabela a gente vai ter oportunidade”, disse Paulo Henrique Ganso, nesta terça-feira, no CT da Barra Funda.
Questionado após ter dito recentemente que se considerava “acima da média” em relação a concorrentes de posição que atuam no futebol brasileiro, Ganso reiterou o posicionamento, mas fala que o discurso não foi uma tentativa de último apelo ao técnico Luiz Felipe Scolari antes da convocação para a Copa do Mundo.
“Não, não fiz apelo nenhum. Você tem que jogar futebol tranquilo, mostrar sua qualidade dentro de campo, as consequencias vêm depois do futuro. Dizer ‘acima da média’… todo mundo sabe das suas qualidades”, afirmou o jogador.
Ganso será titular do São Paulo mais uma vez nesta quarta-feira, contra o Fluminense, no Maracanã, em mais uma etapa do Brasileirão. O time atuará com Rogério Ceni, Paulo Miranda, Lucão, Antonio Carlos e Reinaldo; Ganso, Souza, Maicon e Osvaldo; Alexandre Pato e Luis Fabiano. O zagueiro Rodrigo Caio está com a seleção brasileira sub-21, e o lateral Alvaro Pereira já se apresentou à seleção uruguaia para os preparativos da disputa da Copa.
Também recentemente, Ganso foi colocado pelo técnico Muricy Ramalho no banco de reservas. Ficou entre os suplentes contra o Coritiba, entrou no decorrer da partida e foi decisivo. Na saída de campo, criticou Muricy por ter escalado equipe com quatro atacantes e sem armador. Ganhou a vaga de volta, e agora diz que é “folclore” o pensamento que o banco faz bem aos jogadores.
“Para mim, isso é folclore. O cara tem que treinar no dia a dia, se dedicar, buscar melhorar sempe. Cada jogo que você faz tem que ser melhor que o anterior”, disse.
Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*