Em 1971, o São Paulo vence o Bahia na casa do adversário

O São Paulo inicia a jornada na Copa Sul-Americana 2012 hoje, em Salvador, contra o Bahia. O adversário é historicamente difícil para o Tricolor, afinal, de modo geral, são 13 vitórias para o time baiano contra 11 são-paulinas. Fora de casa a missão se torna ainda mais complicada, pois o São Paulo não vence o adversário na casa dele há quase 41 anos.

A última vez que a equipe paulista saiu vitoriosa das terras baianas foi justamente na primeira vitória do maior campeão brasileiro nessa competição, em 1971.

Após duas derrotas nas duas primeiras rodadas daquele Campeonato Brasileiro, o São Paulo buscava a recuperação, mesmo desfalcado de Gerson, contundido no joelho esquerdo. O substituto do “Canhotinha de Ouro” foi Carlos Alberto, apontado como o grande responsável pela vitória que trariam da Bahia.

O São Paulo começou o jogo com Édson como líbero, à frente dos zagueiros, Carlos Alberto pela direita, ajudando Forlán, e Pedro Rocha mais avançado, junto a Toninho Guerreiro. Terto e Paraná jogaram quase como pontas. O Bahia adotou um 4-3-3 que, por vezes, se transformava em 4-4-2. Com esta tática, quem mais sofreu foi justamente Carlos Alberto, que tinha de marcar Eliseu, ao centro, e ainda cobrir Forlán, na direita.

No segundo tempo, Paulo Nani entrou no lugar de Paraná e o time são-paulino melhorou. Em grande jogada de Terto, Toninho Guerreiro marcou, aos 10 minutos, o único gol do jogo. O gol deu tranquilidade a equipe paulista e enervou os animos do Bahia, que, aos 23 minutos, teve um jogador expulso por reclamação: Eliseu. Pouco depois, o autor do único gol do jogo também foi expulso, mas os jogadores são-paulinos dominaram a partida, levando-a a cabo com resultado satisfatório.

 

BAHIA 0 X 1 SÃO PAULO

Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Fonte Nova, Salvador
Data: 18 de agosto de 1971
Árbitro: José Aldo Pereira
Renda: CR$ 152.960,00

SPFC: Sérgio; Pablo Forlán, Jurandir, Arlindo e Gilberto Sorriso; Édson Cegonha e Carlos Alberto; Terto, Toninho Guerreiro, Pedro Rocha e Paraná (Paulo Nani). Técnico: Osvaldo Brandão

Gols: Toninho Guerreiro

ECB: Renato, Moreira, Zé Otto, Roberto Rebouças, Alberico, Amorim, Ademir, Baiaco, Carlinhos (Paulo César), Eliseu, Caldeiras.

Fonte: Site Oficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*