Eficientes no ano, baixinhos Jadson e Osvaldo agora encaram a altitude

Nenhum dos dois passa de 1,70 metro de altura, mas Jadson e Osvaldo têm sido verdadeiros gigantes neste início de temporada. Eles só não participaram de um dos sete gols que o São Paulo marcou em 2013, quando levou seus principais jogadores a campo.

Depois dos 5 a 0 da semana passada, os baixinhos do ataque Tricolor são as apostas de Ney Franco para envolver novamente a defesa do Bolívar (BOL), nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no segundo duelo por uma vaga no grupo 3 da Copa Libertadores da América (com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net). Agora, além da alta zaga rival, eles terão de superar os 3.600 metros de altitude da cidade de La Paz, local da partida.

– Vai ser a minha primeira oportunidade de atuar na altitude, nunca joguei. Espero que eu possa aguentar bem. Se for necessário, os reservas estarão preparados e vão entrar com fôlego durante a partida, mas estou preparado – afirmou Osvaldo.

Dos titulares, eles são os dois atletas de menor estatura. Com 1,68 m, Jadson é dois centímetros mais baixo do que Osvaldo. Se eles pouco podem ajudar no jogo aéreo, a dupla compensa na efetividade. O camisa 10 já marcou dois gols na temporada e tem uma assistência. O atacante tem os números inversos: um gol marcado e duas assistências.

A dupla tem trajetória semelhante no clube. Diferentemente de 2013, o início do ano passado foi complicado para os dois. Jadson voltou ao futebol brasileiro após sete anos na Ucrânia e demorou a se readaptar. Com Emerson Leão como técnico, o meia chegou a ficar na reserva. O ex-treinador também não gostava do futebol do camisa 17 que, por muitas vezes, não era nem relacionado.

Hoje eles são peças fundamentais no time tricolor. Entrosados, os baixinhos unem a técnica de Jadson e a velocidade de Osvaldo para assegurar a classificação, quase garantida, à fase de grupos da Libertadores.

A participação da dupla nos gols do São Paulo:

Primeiro gol
– São Paulo  1×0  Mirassol
No primeiro gol do ano, contra o Mirassol, pela estreia do time no Paulistão, Osvaldo recebeu passe de Ganso e disparou pela esquerda. O atacante chegou no fundo e cruzou para Luis Fabiano marcar.

Segundo gol 
– São Paulo  2×0  Mirassol
Para garantir a vitória no primeiro jogo do ano, Jadson entrou no meio dos zagueiros e, de costas, recebeu passe de Denilson. O camisa 10 girou e bateu forte no canto. Vitória por 2 a 0, no Morumbi.

Terceiro gol 
– São Paulo  1×0  Bolívar
Logo no início do duelo com o Bolívar, na semana passada, Jadson deu passe para Osvaldo que, da ponta da grande área, bateu forte e cruzado de esquerda e abriu o placar para a goleada.

Quarto gol 
– São Paulo  2×0  Bolívar
O segundo gol saiu após um longo e difícil lançamento executado por Jadson, praticamente do meio do campo. Aloísio recebeu na área, driblou um zagueiro e cruzou rasteiro para Luis Fabiano ampliar.

Quinto gol 
– São Paulo  3×0  Bolívar
Até agora, enquanto estiveram em campo, o único gol que a dupla não participou foi o terceiro na goleada sobre a equipe boliviana. Após um  cruzamento da direita, Aloísio dominou dentro da área e finalizou em cima do goleiro. No rebote, o Fabuloso marcou mais um.

Sexto gol 
– São Paulo  4×0  Bolívar
Na segunda etapa, Osvaldo arrancou pela esquerda e cruzou rasteiro para o meio da área. Jadson se antecipou aos defensores e, com um chute firme e rasteiro, fez o quarto gol na vitória são-paulina.

Sétimo gol 
– São Paulo  5×0  Bolívar
Para fechar o placar, Osvaldo tentava jogada quando foi derrubado dentro da área. Rogério Ceni atravessou o campo, converteu o pênalti, decretou a goleada por 5 a 0 e a grande vantagem para esta quarta-feira.

Confira um Bate-Bola com Osvaldo, em entrevista ao LANCE!Net, por telefone, de Santa Cruz de La Sierra

Você e o Jadson participaram de quase todos os gols do São Paulo até agora. É um início de temporada bem diferente do ano passado…
Fico feliz de estar podendo participar bem desse início de temporada. Eu e o Jadson, estamos nos doando ao máximo para conquistar o nosso espaço. Espero que a gente possa manter essa sequência nessa partida contra o Bolívar e ao longo de toda a temporada.

Dos lances decisivos, qual é o seu preferido até o momento?
O meu gol, que foi um passe do Jadson e acertei um belo chute. E tem também o primeiro gol do ano, que foi uma tabela que fiz com o Ganso e eu cruzei para o Luis Fabiano marcar de primeira.

Acredita que a altitude pode te prejudicar, já que sua principal característica é a velocidade?
A gente vai ter que dosar um pouco até porque tem a falta de ar, o que acaba prejudicando minha característica. Sou jogador de pique curto, mas eu acredito que eu não vou sentir muito e vou conseguir ajudar o time o máximo possível.

A velocidade da bola é algo que também pode atrapalhar?
A bola é bastante rápida com a altitude e eu vou fazer meu jogo, vou procurar dar velocidade à equipe e fazer as jogadas pelo lado esquerdo com o Cortez. Vamos entrar com tudo porque queremos garantir essa vaga na fase de grupos, que é o planejamento da diretoria.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*