Defesa do São Paulo se acerta e vira a melhor do segundo turno

Uma das principais deficiências do São Paulo na era Emerson Leão era o seu sistema defensivo. Com as lesões sofridas no início do ano por Wellington e Fabrício, o então treinador são-paulino sofreu para arrumar o setor. Não foram poucos os jogos em que falhas ocorreram, a ponto de o zagueiro Paulo Miranda ter sido afastado após a eliminação da equipe na semifinal do Campeonato Paulista.

O time naufragou também na Copa do Brasil, e Leão acabou demitido. Ney Franco foi contratado para o seu lugar, mas a defesa seguiu sem mostrar firmeza. A diretoria fez sua parte e investiu na contratação do zagueiro Rafael Toloi, que veio do Goiás. Com jogos seguidos às quartas e domingos, o novo técnico reclamava do pouco tempo para corrigir as deficiências e foi tentando arrumar as coisas na base da conversa. E o setor que antes era um problema hoje é uma das armas da equipe no segundo turno do Campeonato Brasileiro.

O São Paulo tem a melhor defesa da segunda parte do campeonato, com apenas cinco gols sofridos nas dez partidas que disputou. Marca que para o técnico Ney Franco é fácil de ser explicada.

– Mudamos o posicionamento de alguns atletas. O Paulo (Miranda) deu segurança atuando na lateral. A entrada do Wellington aumentou bastante a proteção defensiva. E os dois atacantes que jogam pelas pontas fazem muito bem a marcação dos laterais. Com isso, os times adversários perderam a liberdade que tinham para chegarem tocando. É bem verdade que isso aconteceu na parte final do jogo contra o Vasco, mas é preciso ressaltar também a qualidade do adversário. Hoje, o time está bastante equilibrado – disse o treinador.

Além dos fatores citados acima, Ney Franco também elogiou o goleiro e capitão Rogério Ceni.

– Hoje ele está à vontade, mostrando o seu melhor. Quando voltou de lesão, ficou muito tempo parado e precisou de um tempo para ganhar ritmo de jogo. Quando os times adversários chegam, ele tem trabalhado muito bem – ressaltou.

O zagueiro Rafael Toloi, reforço contratado no primeiro semestre para dar mais qualidade ao setor defensivo, usou discurso parecido com o de Ney Franco.

– A partir do momento em que todos começaram a ajudar, a defesa melhorou. O sistema defensivo não é composto apenas por zagueiros, laterais e volantes. Todos precisam dar a sua contribuição. Hoje a nossa marcação começa lá na frente, o Osvaldo e o Lucas fazem bem isso e o time se acertou. Temos de continuar dessa maneira até o fim agora – disse o defensor.

O São Paulo tenta manter o excelente desempenho da defesa neste domingo, contra o Figueirense, no Morumbi, a partir das 16h.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*