São Paulo e Douglas arrancam juntos para assegurar vaga na Libertadores

Invicto há cinco rodadas no Brasileirão, o São Paulo colou no G4 e pode voltar a ocupar uma posição no seleto grupo hoje, já que está apenas um ponto atrás do Vasco.

E o crescimento no torneio nacional caminha de mãos dadas com a evolução de um são-paulino em especial: Douglas. O camisa 23, que será mais uma vez titular, neste domingo, contra o Figueirense, credita o sucesso de ambos a uma série de fatores.

– Creio que foi pelo todo. Quando o time cresce na defesa, no ataque, está todo mundo com o mesmo pensamento, a tendência é só melhorar e crescer a cada jogo. Esses são os fatores. E você olha para o lado e vê o jogador correndo, o espírito do seu colega dentro de campo, isso dá força  para melhorar – disse, ao LANCENET!.

Douglas chegou ao São Paulo em fevereiro. Com lesão no púbis, demorou para estrear. Quando enfim fez seu primeiro jogo, engatou  sequência como titular e não saiu mais. Recentemente, porém ele perdeu espaço para o zagueiro Paulo Miranda, que tem feito boas atuações improvisado no lado direito da defesa.

– Saí por opção tática, do treinador, não porque estava mal. Ele conversou comigo. Respeito a opinião dele, e procuro mostrar que tenho potencial para estar de volta à equipe, independentemente da posição – acrescenta o lateral tricolor.

Mesmo perdendo a vaga na posição de origem, o camisa 23 ganhou chance para jogar em uma nova função. Substituindo Lucas, que está com a Seleção Brasileira, Douglas jogou – alguns minutos diante do Palmeiras e todo o jogo contra o Vasco – aberto pelo lado direito do ataque. E nas duas ocasiões foi bem.

Enquanto isso, o São Paulo vai superando adversários e diminuindo a distância para o G4. Dos últimos 15 pontos disputados, o Tricolor conquistou 13. A marca é muito superior às dos concorrentes diretos, Atlético-MG, Vasco e Internacional (veja mais abaixo).

Neste domingo, ante o Figueirense, às 16h, no Morumbi,  com transmissão em tempo real pelo LANCENET! , nova chance de agradar a Ney Franco e entregar a Lucas um São Paulo ainda melhor e, quem sabe, no G4.

Confira um bate-bola com Douglas:

Acha que pode render mais na nova posição do que na lateral?
Sou lateral, né? É a posição que gosto de jogar e a posição pela qual fui contratado aqui no São Paulo. Independentemente da posição, vou procurar fazer o meu trabalho a cada jogo aqui. Acredito que tenho feito isso bem nas últimas partidas, foram boas atuações. Vou procurar manter isso.

O Lucas vai retornar da Seleção e você, provavelmente, vá voltar para a reserva. A briga depois é pela lateral ou por uma vaga na frente?
Com certeza para voltar à lateral. É minha posição de origem, foi onde ganhei meu espaço no futebol brasileiro, onde dei uma arrancada na minha carreira e é onde pretendo jogar por um bom tempo. Vou brigar para voltar ali. Se durante as partidas o Ney necessitar que eu entre no ataque vou estar à disposição. O importante é estar no grupo, ajudar eles, independentemente da posição.

Com dois jogos em casa agora, chance perfeita para entrar no G4?
Com certeza, sem dúvida. Temos dois jogos dentro de casa, teremos o apoio da nossa torcida, o que foi fundamental no nosso último jogo no Morumbi (Palmeiras). Agora temos que fazer esses seis pontos que virão pela frente. E independentemente do que as equipes de cima estiverem fazendo, temos que fazer nossa parte. O Vasco vai ter duas pedreiras nos dois próximos jogos (Santos e Botafogo). Temos que fazer o nosso papel, torcer por um resultado ruim deles e entrar no G4 para não sair mais.

Sobe e desce do lateral-direito do Tricolor

Sobe – Versatilidade:
Desde que estreou pelo clube, Douglas já atuou em várias posições. Além de ala (3-5-2) e lateral (4-2-3-1), jogou também em uma linha de três no meio de campo, no ataque (veja abaixo) e, inclusive, na lateral esquerda, no clássico contra o Corinthians, quando Cortez esteve suspenso.

Desce – Marcação:
Com boas subidas ao ataque e velocidade, Douglas já mostrou que é uma boa opção ofensiva ao time. Porém, apresenta na marcação sua principal deficiência. E a dificuldade aparece, principalmente, quando atua como lateral em uma linha de quatro atrás.

Desempenho dos concorrentes do São Paulo no segundo turno

Atlético-MG
Do terceiro ao sexto colocado, o Galo tem o pior rendimento. São apenas cinco pontos conquistados nos últimos 15 disputados.

Vasco
Está em quarto e fez oito pontos nos últimos cinco jogos. Foram duas vitórias, dois empates e uma derrota, para o Tricolor.

Internacional
É o que mais se aproxima do São Paulo, mas ainda distante. Somou nove pontos nos últimos 18 possíveis.

São Paulo
Tem quatro vitórias e um empate nas últimas cinco partidas. São 13 pontos nos últimos 15 disputados. G4 à vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*