Conselheiro do São Paulo quer acabar com rock na entrada do time

Já virou tradição. Quando o São Paulo entra em campo, no Morumbi, a música que se ouve no estádio é “Hells Bells”, da banda de rock AC/DC. Mas essa prática pode chegar ao fim em breve, se depender dos conselheiros do Tricolor. A informação é do jornal “Diário de S. Paulo”. O som da banda australiana foi uma escolha do goleiro e capitão Rogério Ceni.

Em reunião do Conselho Deliberativo, o conselheiro Itagiba Francez criticou o som e pediu que a música seja abolida da casa são-paulina.

Essa música é horrível e faz com que todo mundo se sinta em um enterro. Começa com uns sinos tocando. Depois, parece que entram no gramado os mortos, no caso, os jogadores. Só falta o caixão – disse.

O discurso ganhou o apoio de outros conselheiros, mas não do presidente Carlos Miguel Aidar. O rock segue garantido, pelo menos até a despedida de Rogério Ceni.

 

Nota do PP: na feira aqui perto de casa a venda de melancias é liberada.

7 comentários em “Conselheiro do São Paulo quer acabar com rock na entrada do time

  1. Itagiba parece ser nome de cidade. “Prezados Itagibenses…” É impressionante com tem gente que não sabe de nada. Será que o conselheiro sabe que os departamentos amadores estão fazendo rifa, vaquinha, bingo, feijoada para participar de competições importantes? Por que não leva um projeto para acabar com a mendicância dentro do clube?

  2. Esperar o que de um conselho eleito por 45% de são paulinos e 55% de torcedores de outros clubes.
    A continuar desta forma talvez chegue o dia em que o conselho vote pelo fim do futebol, afinal, se a música incomoda tanto o que dirá o barulho da torcida, tirando a paz dos momentos relaxantes na manicure.

  3. Celebrar a entrada do time com um música é comum em estádios de futebol americano. Quando o equipamento de som é bom, cria-se um efeito impressionante.E esse estilo musical é apropriado, pois associado a vigor físico e agitação. Imagine fosse um funk…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*