Cobertura do Morumbi tem chance ‘quase zero’ de sair do papel

Um dos principais sonhos de Carlos Miguel Aidar era, ao menos, iniciar em sua gestão as obras para a construção da cobertura e do prédio de estacionamento do Morumbi. O desejo, porém, está cada vez mais distante das mãos do presidente.

– Está muito difícil. Probabilidade de sair hoje é quase zero. Infelizmente é isso. Estou pessimista – declarou o mandatário tricolori.

Aidar apresentou duas razões para as complicações no projeto da reforma do estádio: os boicotes promovidos pela oposição e o momento econômico vivido pelo Brasil.

– Os parceiros do negócio estão começando a desistir devido ao que foi armado pela oposição. A situação econômica do país também está afugentando – lamentou o presidente.

Sempre com alfinetadas ao derrotado Kalil Rocha Abdalla, Carlos Miguel Aidar voltou a demonstrar temor com as chances do Morumbi ficar ultrapassado perante a construção do Allianz Parque, do Palmeiras, e da Arena Corinthians neste ano.

– Infelizmente, vamos ficar para trás dos nossos rivais – afirmou.

Fonte: Lance

6 comentários em “Cobertura do Morumbi tem chance ‘quase zero’ de sair do papel

  1. Paulo, cerca de 400 milhões para uma cobertura e dois prédios de estacionamentos, será que essa brecada no projeto não seria uma boa para se rediscutir se não vale a pena derrubar o estádio e construir um novo e menor?
    O clube não conseguiria tocar essa reforma e remodelação as suas próprias expensas? Não me agradar passar para a iniciativa privada parte da administração do estádio por 20 anos… Qual é a sua opinião?

    • Jefferson, já me posicionei sobre o assunto em editorial. Sou favorável à obra, mas não do jeito que está. Há que se ter uma discussão melhor sobre o local da construção dos estacionamentos. Mas a cobertura não significa que o estádio passará para terceiros por 20 anos. Apenas a arena de shows, que fica atrás do gol da antiga arquibancada amarela, é que será destinada à empresa quando houver shows.

  2. Caro Paulo Pontes, peço licença para indagar do amigo – se não quiser não precisa responder – se no decorrer dessa “novela” envolvendo a cobertura do Estádio, em algum momento não lhe passou pela cabeça a hipótese de o projeto da cobertura já ter sido descartado há muito tempo pela situação, bem antes mesmo do start do processo eleitoral e também das ações (desastradas) da oposição para obstar o projeto, e que só foi mantido na pauta dos debates pela situação para servir como um cavalo de troia? Passados 30 dias das eleições, estamos nos deparando com uma postura diferente e conformista demais do atual Presidente. Assim, sou induzido a concluir, que desde a desistência formal e definitiva da Andrade Gutierrez, não houve nenhuma outra empresa interessada em bancar o projeto. Nesse caso, fica claro que a situação jogou para a arquibancada, armando um cenário de pura ficção em que o projeto só não foi aprovado pela ação nefasta da oposição, quando é certo, o projeto já era um natimorto. Maquiavel poderia desenvolver uma bela tese partindo desse raciocínio, lógico, não lhe parece? No meu entender, aqueles que “bolaram” o plano conseguiram driblar todo mundo, de associados à opinião pública , todos foram vítimas de uma “caneta” bem dada!!!

    • Waldir, até onde sei – e, modéstia à parte -, tenho informações privilegiadas dos corredores internos do Morumbi, o projeto não foi abandonado. O que parece estar abandonado, ao menos por enquanto, e para a nossa felicidade, é a idéia de mudar o estatuto para aprová-lo com 50% mais um dos votos. Carlos Miguel Aidar vai tentar negociar com a oposição. Mas existem, sim, empresas interessadas e o clube tem urgência em aprovar o projeto.

      • Partindo de vc Paulo, reputo a informação confiável. Contudo, eu continuo intrigado diante da postura da Diretoria, que em nenhum momento divulgou a lista dos demais interessados (sic!). Então eu me pergunto, em quê essa informação poderia prejudicar as tratativas ?

  3. Isso mostra a importância de fazer as coisas de forma clara e honesta, sem manobras políticas.
    Se tudo tivesse sido feito, as coisas discutidas a tempo e esclarecidas, poderia-se chegar a um consenso. Infelizmente não foi o que saiu na mídia, muita manobrinha política e sem tempo hábil para quem deveria votar poder ler, entender, sugerir, etc.

    Fica para o clube o prejuízo dessa guerra política idiota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*