Cinco casos mostram como era grande jejum de goleada do SP no Majestoso

Motivo não falta para o são-paulino fazer festa pela vitória de 4 a 0 sobre o Corinthians, neste sábado. Se os tricolores puxarem pela memória, vão perceber que há muito tempo eles não comemoravam uma goleada sobre o arquirrival.

A última vez havia sido o 5 a 1, do dia 8 de maio de 2005, no Pacaembu. De lá para cá, muita coisa mudou. O UOL Esporte mostra abaixo cinco casos que comprovam o quanto o mundo está diferente.

São Paulo

O clube era bicampeão da Libertadores e do Mundial. Danilo, que atualmente está no Corinthians, ainda defendia o Tricolor. A temporada marcou a chegada de Rodrigo Caio, então com 11 anos, às categorias de base do São Paulo.

Corinthians 

O arquirrival era motivo de piada na Libertadores, não tinha um estádio e por isso mandava as suas partidas no Pacaembu. Na sala de troféus, o Corinthians tinha três títulos Brasileiros (1990, 1998 e 1999).

Melhor do mundo

Ronaldinho Gaúcho era o melhor jogador do mundo, segundo eleição da Fifa. Lionel Messi não passava de uma promessa do Barcelona e Cristiano Ronaldo despontava no Manchester United.

Papa

Após a morte de João Paulo II, o alemão Joseph Ratzinger, Bento XVI, havia sido eleito Papa em abril de 2005.

Política

Luiz Inácio Lula da Silva exercia o primeiro mandato como presidente. Dilma Rousseff era a Ministra de Minas e Energia e Michel Temer presidia o PMDB. Durante o ano de 2005 surgiram denúncias do mensalão pago à parlamentares do congresso.

 

Fonte: Uol

2 comentários em “Cinco casos mostram como era grande jejum de goleada do SP no Majestoso

  1. Ganhar das galinhas, dos gambas e ainda de goleada é muito bom, mas apesar de dizer que com os 45 pontos estamos livres do rebaixamento ainda faltam 4 jogos e a diferença para inter o primeiro da fila do rebaixamento sao 7 pontos e 6 pontos para o G-6 nao é impossivel as 2 coisas acontecer pois temos que fazer a nossa parte que é ganhar todos jogos que faltam e torcer para os outros ou abaixo ou acima perderem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*