Ceni quer Denis como sucessor no São Paulo e manda recado à diretoria

Rogério Ceni repensa a aposentadoria, cria otimismo dentro e fora do São Paulo pela permanência por pelo menos mais um semestre em 2014, mas já avisou à diretoria que quer ver Denis como titular caso decida parar no fim de dezembro.

Ceni mandou o aviso ao ver notícias sobre suposto interesse do clube na contratação de outros goleiros, mais experientes, para 2014. Titular desde 1996, o goleiro são-paulino faz lobby para que Denis assuma a posição quando decidir se aposentar, no fim deste ano ou em 2014, caso adie a decisão.

A diretoria são-paulina responde à pressão de Rogério e diz que não pensa na contratação de outro goleiro.  No entanto, não coloca Denis como sucessor natural e prefere pensar da disputa interna pela posição. Alguns depositam esperança na evolução de Renan Ribeiro, de 23 anos, que tem passagens por categorias inferiores da seleção brasileira e foi contratado no ano passado.

Há, entre a cúpula, quem defenda a chegada de um reforço mais experiente caso Ceni pare, mas o departamento de futebol pensa o contrário: como exemplo, cita que Diego Cavalieri, do Fluminense, foi oferecido por três empresários diferentes nos últimos meses, e não interessou ao clube – o jogador não tem agente.

Ceni não faz lobby por Denis apenas por serem amigos. Aos 40 anos, o capitão são-paulino diz a dirigentes do clube que seu reserva imediato, de 26 anos, é o mais bem preparado para ocupar a função. Ceni gosta da personalidade, da habilidade debaixo das traves e tem elogiado até o trabalho com a bola nos pés – no qual se tornou referência mundial – do companheiro de posição.

Rogério Ceni e Denis convivem juntos no São Paulo desde 2009. O indicado por Ceni foi terceiro goleiro durante duas temporadas – Bosco era o reserva – antes de assumir o banco do capitão. Do atual elenco, apenas o volante Wellington tem mais tempo de clube que a dupla. Luis Fabiano e Denilson também, mas deixaram o Morumbi para voltar mais tarde.

Em dezembro de 2012, o São Paulo acabara de firmar contrato com Renan Ribeiro, do Atlético-MG, para maio de 2013, quando Rogério Ceni disse que outras posições eram mais carentes no elenco são-paulino. O goleiro hoje convive e é próximo a Renan, mas deixou claro desde então que não queria um concorrente para disputar a sucessão com Denis.

Após a ótima atuação de Rogério Ceni na vitória por 4 a 3 sobre a Universidad Católica, no Chile, que deu ao São Paulo a vaga nas quartas de final da Copa Sul-Americana, Denis foi questionado sobre a chance do capitão adiar a aposentadoria. O reserva brincou, mas falou que gostaria que Ceni parasse, pois queria ter sua chance.

Até o São Paulo deixar a zona de rebaixamento, Rogério Ceni disse que a decisão pela aposentadoria estava tomada e não mudaria até o fim do ano. O goleiro recuou. Hoje, repensa a decisão e ainda não definiu o que fará no fim do ano. A recuperação do time com Muricy Ramalho e a campanha que pode resultar em título na Copa Sul-Americana comovem o capitão, assim como a possibilidade de jogar a Copa Libertadores em 2014.

No São Paulo, aqueles que estavam pessimistas em relação à permanência de Ceni agora se dizem indecisos. Os que estava indecisos se dizem otimistas. Ninguém, no entanto, dá certeza que Ceni irá parar ou continuar.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*