Ceni fala em aproveitar o tempo e espera “dia mais importante da vida”

O técnico Rogério Ceni mantém uma linha adotada desde a época em que defendia a meta do São Paulo, não muito tempo atrás: aproveitar cada momento dele no clube. Adepto do mantra desde seus inflamados discursos para a equipe antes dos jogos da Libertadores de 2015, o arqueiro apontou que, assim como todos seus dias de treinamento, a estreia contra o Audax, marcada para domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Barueri, será o dia mais importante da sua vida.

“Honestamente, todo dia que eu acordo é o dia mais importante da minha vida. Quando o ponteiro passa, não é o tempo, é minha vida que está passando. Cada treino que eu dou é o dia mais importante da minha vida. Domingo, quando chegar, vai ser o dia mais importante da minha vida”, afirmou o arqueiro, que mostra bastante disposição na hora dos treinamentos, interagindo bastante com o elenco.

“Espero acordar com a mesma disposição, e alegria que eu tenho de vir aqui ao CT para planejar o que vai ser dado aos atletas, estudar as características de jogo da nossa equipe. Sei que vai ser um jogo muito difícil, complicado, mas espero ter os méritos de conseguir sair como vencedor”, avaliou.

Já escolado quanto a críticas da imprensa, Ceni adotou um tom irônico ao ser perguntado se a equipe já está pronta após o período de treinamento. Do início da pré-temporada, no dia 4 de janeiro, até a estreia, em Barueri, ele pôde ministrar quatro semanas de movimentação e testou os resultados em cinco amistosos, com direito a título na Copa Flórida.

“Depende do final dos 90 minutos. Se ganhar, sim, se perder, vocês darão essa resposta se est[a pronto. Mas acredito que o nosso time está bem preparado para, enquanto tiver condiões físicas ideais, fazer o que quiser”, observou, ressaltando a diferença no tempo de trabalho para alguns concorrentes.

“Agora, são quatro semanas de treino. O Diniz, no Audax, depois Oeste, agora Audax de novo, mas sempre com o mesmo grupo, é um período bem mais longo. Dorival no Santos também. Eu sou fã incondicional dos caras com quem eu trabalho, gosto muito da maneira com que eles se entregam entro de campo. Confio muito no trabalho que é dado a elese na capacidade deles de desenvolver o que é pedido”, explicou, fazendo questão de colocar o Tricolor como concorrente ao título.

“Sempre que você cita São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos eles são os favoritos. E isso vem tomando forma nos últimos anos. Nosso elenco é um pouco mais enxuto do que os demais, mas, se eu não acreditar que posso ser campeão, pego meu boné e vou embora. Vamos tentar fazer o nosso melho dentro dos 23 jogadores de linha disponíveis para nós”, encerrou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*