‘Casemarra’ ficou para trás! Veja como foi a evolução de Casemiro

Com apenas 23 anos, Casemiro já viveu diversas emoções na carreira. Surgiu como promessa no São Paulo e ganhou moral ao defender a Seleção Brasileira Sub-20. Porém, não deslanchou na ocasião e foi acusado de ser marrento. Chegou ao Real Madrid, sendo até muito cutucado por isso, e lá era praticamente um “patinho feio”. E agora, no Porto, parece que enfim o volante decolou (veja mais abaixo depoimentos de jornalista de Portugal, Espanha e Brasil). Seu auge foi na goleada por 4 a 0 sobre o Basel pela Liga dos Campeões. O Dragão até já se movimenta para ficar com ele em definitivo.

O Real foi buscar o jogador no São Paulo em 2013. Primeiro por empréstimo, e depois contratou de vez. Jogou no Castilla, o time B dos Merengues, e teve oportunidades ao lado do “Galácticos”. Eles tentaram até fazer o mesmo com Willian José, mas o atacante acabou saindo e está agora no Zaragoza. “Casão” participou na campanha da conquista da Liga dos Campeões na partida contra o Borussia Dortmund, sendo importante para segurar a pressão aurinegra.

Desde então a torcida pede por ele, Casemiro ganhava elogios de companheiros e do técnico Carlo Ancelotti. Mas o time tinha o caro Illarramendi no elenco, e ainda chegou Kroos. Mesmo com a saída de Xabi Alonso, o brasileiro achou melhor buscar outros ares. Pulou a fronteira ibérica e foi para Portugal.

Fez o seu primeiro jogo na tradicional apresentação do time à torcida em amistoso contra o Saint-Étienne. Na ocasião, entrou no segundo tempo e mostrou versatilidade ao depois ser deslocado para a zaga. No início dos jogos oficiais, chegou a ficar na reserva do recém-lançado Rúben Neves, mas não demorou para entrar e ficar de vez no time.

Casemiro se soltou e aos poucos fez a torcida (quase) se esquecer de Fernando, um dos ídolos dos últimos anos do time. Seu principal fundamento, o desarme, ficou logo evidente. Os números comprovam isso. Antes do jogo desta terça-feira (para não ficar injusto), era o segundo melhor neste quesito, atrás apenas de Matic (que joga nesta quarta-feira pelo Chelsea). Média de 5,4 por partida. Para melhorar, acerta 90% dos passes.

Isso, na prática, foi visto no primeiro gol do Porto sobre o Basel. Roubou a bola no meio, serviu Tello perto da área. O espanhol foi derrubado e Brahimi abriu o placar de falta. Mais tarde fez o seu de bola parada, a 29 metros do goleiro adversário. Foi o gol com mais distância nesta edição da Liga dos Campeões.

– Não foi tudo perfeito apenas por causa do gol, mas por causa da performance. Todos jogaram bem e merecem os parábens. Fiquei muito feliz pelo gol, pois há muito tempo vinha treinando cobranças de falta – disse Casemiro após o jogo:

– Fazia seis anos que o Porto não chegava às quartas de final, então conseguimos algo muito positivo. Sem contar que ainda estamos invictos na competição. A caminhada é longa, e temos muito trabalho pela frente. Precisamos trabalhar forte e continuar pensando jogo a jogo.

Se falar em estatísticas gerais, o site WhoScored faz uma análise baseada em vários dados, e Casemiro está em terceiro no ranking da Liga dos Campeões com nota 8,43. Perde só para Messi (9,12) e Hazard (8,44).

Motivos suficientes para fazer o Porto se mexer. Ele está emprestado, mas existe a opção de compra. Basta o Dragão depositar 12 milhões de euros (R$ 39 milhões) na conta do Real Madrid, que ele fica em definitivo. Os Merengues, que já manifestaram desejo em contar novamente com Casemiro, terão que se conformar. Ou convencer o jogador de que terá espaço e não aceite a oferta do Porto.

COM A PALAVRA
Márcio Santos, setorista do São Paulo no LANCE!
“Quem sabe faz a hora”
No São Paulo, Casemiro é da mesma geração de Lucas, atualmente no PSG. Desde que subiram ao profissional, em 2010, após conquistarem a Copa São Paulo de Futebol Júnior, o segundo sempre atingiu maior fama. Lucas foi para a Europa antes, vendido por mais de R$ 100 milhões, chegou antes à Seleção, esteve na Pré-lista da Copa do Mundo 2014. Mas a euforia atual em torno do volante do Porto, enquanto o meia se recupera de lesão na França, levanta uma questão: estavam assim tão errados os profissionais que trabalharam com os dois na base e diziam ser o volante melhor e mais completo do que o meia?

Isso acontecia no período em que estavam no São Paulo. São estilos completamente diferentes. Mas no Tricolor uma coisa era clara: o problema de Casemiro nunca foi bola. Era o que fazia fora dos gramados. Lucas, por outro lado, era o melhor exemplo de menino bom, humilde, dos melhores. Casemiro virou “Casemarra”.  A falta de foco extrapolou e comprometeu seu futebol. Chegou a ir ao treino sem condições de chutar uma bola. Um de seus empresários prometeu comprar um despertador para o volante não perder a hora. A torcida, óbvio, passou a persegui-lo. Casemiro passou a jogar mal, sentiu o baque e foi embora. Com a boa fase no Porto, terá Casemiro superado os demônios que o impediam de fazer bem o que melhor sabe? Tomara. Pois quem sabe faz a hora!

COM A PALAVRA
Norberto Lopes, repórter do “Jornal de Notícias” (POR)
“Casemiro, o meia que perdeu a vergonha”
Começou mal a temporada, passou muitas vezes despercebido e as saudades de Fernando chegaram a ser muitas. Mas Casemiro soube crescer. E o exemplo de como cresceu ilustra bem como a equipe do Porto também foi melhorando ao longo da temporada. Casemiro entrou tímido, agora perdeu a vergonha. É forte fisicamente, rouba bem a bola, sabe empurrar o time para a frente, é bom no chute e conquistou um lugar indiscutível no Porto. Mas ainda não é um jogador perfeito. Falta-lhe aprimorar o passe e diminuir os níveis de agressividade.

Na terça-feira, contra o Basel, fez o melhor jogo ao serviço do Porto. Marcou um gol soberbo, foi como um bom relógio suíço no meio-campo e confirmou como é um jogador de nível alto para a Seleção Brasileira. Tê-lo em grande forma é uma boa notícia para o Porto na fase decisiva da temporada, mas também é um aumento de responsabilidade. Casemiro está emprestado pelo Real Madrid até ao final da temporada e é uma grande tentação para a equipa espanhola. Se continuar assim, o Porto também tem de ser um pouco como Casemiro: tem de perder a vergonha e comprar o passe no final da temporada.

COM A PALAVRA
Jaime Rincón, repórter do “Marca” (ESP)
“O meia que o Real quer mora agora no Dragão”
Ancelotti não encontra companheiro para Kroos. Illarramendi, Lucas Silva, Khedira… Ninguém convence o técnico italiano. Todos esperavam impacientes pelo retorno de Modric, mas o croata não é um meia com o perfil defensivo que o Real precisa. Enquanto isso, Casemiro cresce a passos gigantescos no Porto de Lopetegui.

Para o técnico espanhol é peça básica no esquema. Na volta das oitavas da Champions foi destaque. Recuperou mais de 10 bolas, acertou os passes e deixou sua assinatura com um golaço de falta. A mensagem de Casemiro a Ancelotti não poderia ser mais clara: o meio-campo defensivo que o Madrid busca mora agora no Dragão.

 

Fonte: Lance!net

2 comentários em “‘Casemarra’ ficou para trás! Veja como foi a evolução de Casemiro

  1. Como a maioria dos jogadores que nos deixam da’o certo em outros.
    ?????? O que sera’ que acontece nesse Morumbi ????????
    O mesmo de kotia com certeza,
    ?????? Ne’ Maicon ???????????

  2. Ele eh muito bom !!
    Sempre foi doa melhores e com futuro igual ao de Lucas, Neymar e Oscar !!
    Rouba bem a bola, compoe bem, da bons passes e cabeceia bem…..
    O problema sempre foi extra campo….
    Desde que comprou um apto e foi morar sozinho, vivia de baladas e bebidas.. chegava aos treinos direto da balada e bebado…..
    Se tiver alguem ao lado dele, puxando a rédea e tratando-o como crianca literalmente, falando o que tem e o q nao tem q fazer…. ele tem tudo para estar na selecao principal !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*