Atletas confiam na diretoria e tentam esquecer extracampo no Tricolor

Os jogadores do São Paulo ouviram da diretoria do São Paulo que os atrasos nos direitos de imagem serão quitados até o final desta semana e que a situação vivida nesse começo de temporada não irá se repetir. Confiante no papo que tiveram com o executivo Gustavo Vieira e o vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, o elenco prometeu foco total nas disputas dentro de campo que o clube terá pela frente.

“Se eles falaram que vão pagar é porque vão pagar”, comentou o lateral esquerdo Carlinhos, que atuou no meio-campo e foi o responsável pela assistência a Rodrigo Caio no gol da vitória do Tricolor sobre o Rio Claro, no domingo, no Pacaembu. Agora, o time se prepara para o embate frente ao Novorizontino, também no estádio municipal, na quarta-feira.

“O São Paulo pagou dezembro e está devendo 10 de fevereiro. 10 dias de atraso. Seja a decisão do conselho para a Globo ou Esporte Interativo, qualquer um dos dois será dinheiro para pagar os jogadores e criar fundo pra não atrasar salario, fundo e prêmio. A decisão saindo na terça, quarta ou quinta (pagamos), não sei se dá tempo. Nós comunicamos, não teve nenhuma restrição”, disse Ataíde, condicionando o pagamento à decisão do Conselho sobre o acerto dos direitos de televisão, marcada para esta semana.

“Essa situação foi resolvida internamente, como sempre tem que ser. A diretoria foi clara com a gente sobre a situação e creio que tudo ficará resolvido. Não influenciou em nada o nosso desempenho, isso eu posso garantir”, avaliou o zagueiro Rodrigo Caio, incomodado com os gritos de “mercenários” bradados pelos torcedores antes da partida do final de semana. “Tem que tentar esquecer isso aí. Torcedor é passional”, afirmou.

Diretamente interessado, o técnico Edgardo Bauza celebrou o entendimento entre jogadores e cúpula. Apesar de considerar o incidente “algo muito pequeno” perto do que ele já viu no futebol, Patón acredita que qualquer desvio de concentração pode ser fatal para as pretensões do ano.

“Eles ouviram da diretoria que tudo seria resolvido e, posto isso, continuaram focados no que vai acontecer dentro de campo. Não podemos ficar pensando em coisas que não sejam o que se passa dentro do gramado. Já na quarta-feira temos um jogo muito difícil e vamos buscar outra vitória para manter esse ritmo de recuperação”, observou o comandante.

O objetivo principal do elenco é o duelo contra o River Plate, no dia 10 de março, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores da América. Até lá, o clube encara quatro jogos do Estadual, procurando achar alternativas à equipe na zaga, que teve a estreia de Lugano e a chegada de Maicon, ainda aprimorando a forma física, e no ataque, local em que Centurión parece destinado a ser sacado, abrindo espaço para Rogério, Kelvin ou Carlinhos.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “Atletas confiam na diretoria e tentam esquecer extracampo no Tricolor

  1. Jogador de futebol tinha que ganhar por produtividade, produziu, jogou bem, fez gol, ajudou o time e etc , ganha de acordo com sua participacao, queria ver esses perebas nao jogar bola de verdade e parar de ficar justificando o injustificavel e cheio de mimimi.

  2. Os clubes são reféns dos jogadores de futebol, além dos poupuldos salários, direito de imagens, tem os famigerados prêmios por vitórias ou conquistas, que é um absurdo. Pode se dizer que nem todos do elenco recebem altos salários. Nas empresas acontecem o mesmo, nem todos tem o mesmo salário. A capacidade de cada um, e rendimento, levam a valorização salarial. Isto só serve para criar mercenários. Agora se quetem manter esta política salarial absurdo, que apliquem multas em cima destes resultados absurdos, como as goleadas sofridas, e derrotas para times inexpressivos, que mancham a história do clube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*