Assessor de Juvenal rebate boatos sobre filha de Aidar em reunião

A reunião da última segunda-feira no Conselho Deliberativo do São Paulo foi a primeira após a crise política que abalou os bastidores do clube em meados de setembro. Além do discurso do presidente Carlos Miguel Aidar, o encontro foi marcado pelo posicionamento diferente de aliados de Juvenal Juvêncio frente aos conselheiros.

José Francisco Manssur, assessor da presidência durante a gestão de Juvenal e ainda ligado ao ex-mandatário, adotou discurso que foi visto com estranheza por outros conselheiros. O caso envolve o afastamento de Mariana Aidar, que se desligou do cargo de assessora do atual presidente e pai alegando estar sendo perseguida por boatos que vinham de dentro do clube.

Pessoas próximas a Aidar têm certeza de que Manssur era o responsável pelas especulações, que envolviam até negociação de jogadores. Publicamente, no entanto, o nome do conselheiro nunca foi citado pelo mandatário ou por sua filha. A impressão que ficou para os outros membros do Conselho é que a “carapuça serviu”.

Outro a adotar postura cautelosa foi Julio Casares. O vice-presidente de marketing, também ligado a Juvenal, reconheceu o apreço ao ex-mandatário, mas preferiu pregar por união no clube. Ainda assim, teria ouvido Aidar criticar seu departamento, mas assegura que foram críticas direcionadas a Juvenal, que não teria levado contratos de marketing ao Conselho Deliberativo em seus mandatos.

A defesa de Juvenal Juvêncio foi feita por dois dirigentes que abriram mão de seus cargos após o rompimento com Aidar. O antigo vice-presidente geral, Roberto Natel, repetiu o tom de sua carta publicada em setembro e vociferou contra Aidar. Já Rui Stefanelli, que era diretor-adjunto de planejamento, apenas defendeu Juvenal.

Fonte: Lance

2 comentários em “Assessor de Juvenal rebate boatos sobre filha de Aidar em reunião

  1. Penso que nesse momento, todos os verdadeiros Sao Paulinos, devem considerar que o mais importante é a INSTITUIÇÃO SPFC. Entao deixemos a emoção de lado, pois quem passou construiu – acertando e errando e quem chegou agora, tem o direito de ter todo nosso apoio para construir tambem. Julgamento e coisa de se faz durante ou apos o EVENTO e nao antes, deixemos a gestao atual agir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*