Assaltado pelo árbitro, São Paulo perde de novo e cai na Libertadores

Acabou o sonho do tetra do São Paulo. Sim, era difícil ir até a final depois de perder por 2 a 0 em casa, mas o Tricolor foi valente em Medellín. Lutou até onde pode com todas as suas limitações. E sai da Libertadores com a sensação de que poderia ter sido diferente – afinal, um pênalti claro não foi marcado para a equipe brasileira quando a partida ainda estava 1 a 1. Por ironia, foi uma penalidade (mão de Carlinhos) que deu a vitória por 2 a 1 aos colombianos.

O Atlético Nacional, agora, espera o adversário das finais dos dias 20 e 27 de julho. Boca Juniors e Independiente del Valle, que venceu o primeiro jogo por 2 a 1 no Equador, decidem a vaga em jogo nesta quinta-feira, em La Bombonera, na Argentina. Ainda sobre o jogo de Medellín, o juiz Patricio Polic se complicou na partida. Não deu pênalti, errou expulsão, usou critérios diferentes…

Ao São Paulo, então, resta o Campeonato Brasileiro. O Tricolor volta a campo no domingo, às 16h, contra o rival Corinthians, em Itaquera, em partida válida pela 15ª rodada.

Primeiro tempo

Um gol com oito minutos de bola rolando. E do São Paulo. A partida começou bem para a equipe tricolor. Michel Bastos acertou bom cruzamento da esquerda, e Calleri, de cabeça, abriu o placar. O argentino, porém, conteve a euforia dos companheiros com um “tranquilo, tranquilo”. Parecia prever que a pedreira Atlético Nacional levaria muito perigo.

Pior do que isso. Aos 15 minutos, Borja, autor dos dois gols na vitória por 2 a 0 no Morumbi, fez o gol de empate, após vacilo da zaga são-paulina, em especial de Lugano. Depois disso, ambos os times tiveram chances de ampliar. O São Paulo teve uma cabeçada de Calleri no travessão e um gol perdido pelo argentino na pequena área. Os colombianos perderam boa chance com Moreno.

No final da primeira etapa, o São Paulo foi prejudicado pela arbitragem. Michel Bastos deu bom passe para Hudson, que se preparava para chutar a gol quando Bocanegra o derrubou na área. Pênalti claro que o árbitro não assinalou. Os jogadores do Tricolor se revoltaram e foram para o vestiário muito irritados. “Eu estava absoluto para fazer o gol”, argumentou Hudson.

Atlético Nacional x São Paulo, confusão, Libertadores (Foto: Mauricio Dueñas Castañeda/EFE)Jogadores do São Paulo reclamam com o árbitro Patricio Polic (Foto: Mauricio Dueñas Castañeda/EFE)

Segundo tempo

No retorno para o segundo tempo, nada mais natural do que o São Paulo partir ao ataque. Ainda faltavam dois gols para a classificação. Mas o bom toque de bola do Atlético Nacional assustava. Para tentar surpreender, Bauza colocou Alan Kardec e Luiz Araújo nos lugares de Hudson e do argentino Centurión.

Aos 15 minutos, um lance de tirar o fôlego dos são-paulinos. Borja (sempre ele!) apareceu bem na área, driblou Denis e deixou a bola para Berrio. Sem goleiro, ele bateu e viu Bruno tirar em cima da linha. Ufa! O jogo foi ficando mais morno com o tempo. A boa troca de passes era a arma dos colombianos para esfriar a partida.

E o São Paulo, sem conseguir finalizar na segunda etapa, sofria com a distância do gol. Para piorar, o Atlético Nacional chegou ao segundo gol aos 32 minutos, em pênalti cobrado por Borja. O árbitro marcou mão de Carlinhos. Durante a comemoração dos colombianos, uma confusão. Lugano e Wesley foram expulsos, ambos por reclamação.

Antes dessa definição, o árbitro expulso de maneira equivocada Michel Bastos. Depois corrigiu dando vermelho para Wesley. E Lugano, que já tinha amarelo, foi retirado por ter batido palmas após o pênalti. A alegação do uruguaio é que estava batendo palmas para incentiva o time. No retorno da bola rolando, nada mudou, e o Atlético Nacional está na final da Libertadores.

Atletico Nacional x São Paulo Libertadores (Foto: Reuters)Borja fez quatro gols em dois jogos contra o São Paulo na semifinal da Libertadores (Foto: Reuters)

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO NACIONAL-COL 2 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Atanasio Girardot, em Medellín (Colômbia)
Data: 13 de julho de 2016, quarta-feira
Horário: 21h45 (horário de Brasília – 19h45 hora local)
Árbitro: Patricio Polic (CHI)
Assistentes: Marcelo Barraza e Christian Schiemann (ambos do CHI)
Cartões amarelos: ATLÉTICO NACIONAL: Mejía, Bocanegra.SÃO PAULO: Hudson, Centurión, Thiago Mendes, Lugano, Wesley.
Cartões vermelhos: SÃO PAULO: Lugano e Wesley.

GOLS:
ATLÉTICO NACIONAL:Miguel Borja, aos 15 minutos do 1T e aos 32 minutos do 2T.
SÃO PAULO: Calleri, aos 8 minutos do 1T.

ATLÉTICO NACIONAL: Armani, Bocanegra (Aguilar), Sanchez, Henriquez (Diego Arias) e Díaz; Mejía e Pérez (Guerra); Berrío, Macnelly Torres e Marlos Moreno; Borja.
Técnico: Reinaldo Rueda.

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena (Carlinhos); Hudson (Alan Kardec), Thiago Mendes, Wesley, Centurión (Luiz Araújo) e Michel Bastos; Jonathan Calleri.
Técnico: Edgardo Bauza.

2 comentários em “Assaltado pelo árbitro, São Paulo perde de novo e cai na Libertadores

  1. Tem q ser muito.burro pra não.perceber alguns fatos claros nesse jogo da libertadores.
    1. Expulsão de Maicon, justa?
    Se empurrar a cabeça de jogadores for lance pra expulsão a Libertadores estaria destituída por falta de atletas argentinos para atuar em seus clubes… mais Maicon foi infantil.
    2. O gol de empate do Atlético Nacional foi irregular… ah mais foi centímetros… e se fosse do lado contrario?… pênalti aos 47 do primeiro tempo, ultimo jogador do time adversário, chance claríssima de gol e expulsão do time adversario, com o espirito q estava a equipe do SPFC, a classificação certamente viria, na camisa como muito a dizem ai mais viria o time adversário estaria desestabilizado assim como ficou contra o Rosário e por pouco não sai da copa libertadores… 3. Palhaçada ao vivo, o pênalti supostamente feito por Carlinhos vem de uma jogada lateral a qual a bola bate no cotovelo do sãopaulino e virado de costas para o lance, ou seja interpretativo, na interpretacao do juiz 1 não houve pênalti tanto q ele não assinala no primeiro momento… então o juiz de fundo aponta q a bola tocou no braço… o.fator interpretativo ai e anulado totalmente, ele foi mal intencionado, no lance do primeiro pênalti ele não consulta o arbitro em momento algum. Então a seria de decisões estranhas… expulsa michel, e depois fala q foi Wesley…. pq? Depois lugano por aplaudir ou bater… palmas? Então fica claro um dos maiores assaltos cometidos pela comebol com um arbitro q tem antecedentes.de influenciar em resaultados de jogos anteriores e estava afastado a 8 meses atrás. Querem mais provas??

  2. Eu não me lembro mais quando foi a última partida em que o SPFC terminou um jogo com 11 em campo! É preciso multar quem for expulso e tomar medidas mais radicais, como retirar o time de campo quando for injustiçado pelos árbitros, assim eles passarão a nos respeitar e a nos temer ainda mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.