Alguém me disse

Semana passada publiquei nesta coluna um alerta para a falta de entrevistas e que isso embaçava um pouco a transparência da administração. Naquele Alguém me disse citei o possível não cumprimento de horários por parte dos diretores executivos.

Para bem da verdade, deixo claro que:

  • Rodrigo Gaspar, diretor Administrativo, me chamou e disse que todos os dias vai de casa direto para o CT de Cotia, depois ao CT da Barra Funda e depois para o Morumbi, começando sua jornada às 8h e não parando antes das 19h;
  • Eduardo Rebouças, diretor de Infraestrutura, me disse que o horário de trabalho ainda não está definido, mas que ele tem chegado ao clube por volta das 8h30 e saído após as 19h;
  • Vinicius Pinotti, diretor de Futebol, me informou que chega no CT da Barra Funda todos os dias às 8h15 e sai depois das 19h, e que tudo está registrado no Controle de Acesso.

Agradeço a todos pela resposta quase que imediata.

 

Paulo Pontes

9 comentários em “Alguém me disse

  1. Boa noite tricolores! É notório que nosso elenco não é bom, mas no meu ponto de vista o RC deve definir um time titular, uma forma de jogar mesmo com variações, e aí, se algum jogador não estiver correspondendo, buscar no mercado ou na base a reposição, qualquer time do mundo tem uma equipe base ai eu pergunto qual é nosso time? A cada jogo uma formação uma forma de jogar diferente. Eu acredito que o RC está pecando ai. Eu faço comentários mas não sou contra o RC mas acho que ele está errando muito, espero que comece a acertar logo.
    Todos têm técnico, só nós temos Rogério Ceni.

  2. Paulo RP, não sou dono da verdade, mas algumas coisas são bem definidas no futebol.

    Existem elencos montados para ser campeão, e elencos montados para vender e revender jogador.

    O São Paulo de 2005/2006/2007/2008 era composto por poucos jogadores com possibilidade de vendas, e os que tinham no elenco, quase sempre eram valores inexpressivos, com exceção do Breno em 2007, acho que nenhum outro atleta da geração 2005/2008 foi vendido por valor semelhante, superior ou pouco inferior, ou seja, vender jogador e fazer dinheiro não era a finalidade principal da administração daquela época.

    O Corinthians vem mantendo esta linha, tanto é que, com um time sem jogadores renomados e com possibilidade de vendas para o exterior, vem se mantendo e conquistando títulos. O Palmeiras mesma coisa, tem hoje pelo menos 20 jogadores de grande qualidade, e quantos com mercado na europa? no máximo 4 ou 5.

    O São precisa de jogadores acostumados a ganhar títulos, como tinha no começo da geração de 2005, com Luizão, Junior, Amoroso.

    Agora te pergunto, porque dispensar o Breno, que sabido por todos, tem grande potencial, e com uma sequência, se torna o melhor zagueiro do elenco, e segurar o Lucão, que é horroroso? A única razão que eu vislumbro é a possibilidade do Lucão ser empurrado em alguma negociação, pela sua idade.

    Com esta mentalidade, a diretoria pode ficar 50 anos no poder, o São Paulo não voltará a conquistar títulos e dominar o futebol brasileiro.

  3. Putz! Reclamamos de tudo.
    Precisamos de laterais: talvez os mesmos que pedem laterais sejam os mesmos que aplaudiram a burrice do Patão insistindo em trazer o Buffarini. Quem jogou ou trabalhou seriamente com futebol, e tem uma inteligência razoável, sabe que bons jogadores – não craques – alternam bons e maus momentos e que não é a deficiência em uma posição responsável pelo péssimo futebol apresentado pela equipe.
    Tudo é culpa da diretoria: O São Paulo “brigou” com o parmera – dos presidentes até ficarem inimigos – por Wesley, pelo Kardec (contratação muito festejada); contratou Jadson, Ganso, Maicon (caríssimo), Wellington Nem e olhem a qualidade do futebol apresentado por esses caras. O São Paulo tem jogadores na base, alguns emprestados, que com algum tempo e apoio do treinador e torcedores, jogam igual ou, quem sabe, melhor do que o Maicon, por exemplo.
    Acho que devemos cobrar da diretoria – presidentes na frente, pela situação caótica das finanças do clube. É ela, não esta que está começando agora, a responsável pela penúria do clube. Agora, responsabilizar a diretoria por termos perdido 3 decisões seguidas, quando deram todas as condições para a equipe enfrentar times de iguais ou menores condições técnicas, é não enxergar o óbvio: falta ao time um treinador que saiba o que fazer; que treine o time para o jogo e tenha em mente o que fazer quando os escalados não executam o que foi combinado – saber substituir. Não sou contra o Rogério Ceni. Fui contra sua contratação agora. Não o admiro como pessoa mas confio em sua inteligência. Acredito que já esteja reconhecendo que, nesta profissão, ele não é “o cara” e que, aos poucos, venha a deixar a soberba de lado para que a inteligência tome conta e ele volte a ser um grande profissional, também, nesta área.
    Esta diretoria é a que temos no momento e acredito que todos, a princípio, sejam bem intencionados. Conforme sugerem seus currículos, são pessoas capacitadas que precisam só de algum tempo para se sentirem à vontade no cargo pra começarem a fazer diferença.
    Então estou com o Paulo Pontes: precisamos esquecer diretoria, dar um tempo para os resultados da mudança aparecerem e, principalmente, vigiarmos o que estão fazendo por trás dos silêncios impostos aos membros do conselho. O futebol do campo é com o treinador e jogadores…

  4. PP, NÃO SINTO CONFIANÇA ATÉ O MOMENTO EM NENHUM DELES, SAÍMOS DE 3 CAMPEONATOS E DE LÁ PARA CÁ NÃO ACONTECEU NADA DE DIFERENTE, (O PAULISTINHA NÃO ERA PRA SER UM LABORATÓRIO????) APENAS ESPECULAÇÕES, SERÁ QUE NÃO PERCEBERAM QUE PRECISAMOS DE REFORÇOS IMEDIATOS, NÃO TEMOS LATERAIS, FALTA UM BOM ZAGUEIRO, MAIS UM VOLANTE, UM RESERVA A ALTURA PRO CUEVA. ACHO QUE É MAIS UM ANO QUE SE VAI SEM TÍTULOS E SEM ESPERANÇAS PRA UM 2018 MELHOR. LAMENTÁVEL.

  5. É bom saber que estão se dedicando, ao menos. Na minha opinião, tanto faz o total de horas que nossos “executivos” trabalham. O que realmente importa é que tudo seja feito com a mais absoluta lisura e comprometimento com o bem do clube. Em Brasília, “trabalham e mais trabalham” e não aprovam nada.

  6. Paulo, acho que ainda mais importante que cumprir horário é trazer resultados pro SPFC. Eles devem serem cobrados mais por isso.

    O nosso clube parou no tempo, então essa diretoria (até agora amadora) tem a obrigação de recolocar o sp na dianteira administrativa como ele era antes dessas últimas gestões desastrosas.

  7. Vamos dar tempo para essa nova equipe ter condições de mostrar trabalho. Se para o técnico o prazo é um ano, o mesmo tempo deve ser dado aos diretores, e depois analisar o trabalho e desempenho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*