Buffarini admite adaptação difícil e pede que São Paulo seja forte no Morumbi

rovável titular da lateral direita do São Paulo no clássico de sábado, contra o Palmeiras, no Morumbi, Buffarini deu entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira e pregou que a equipe se imponha em casa diante de qualquer adversário para conseguir um bom desempenho no Campeonato Brasileiro. Na última segunda, o time venceu o Avaí por 2 a 0.

– Não foi um segundo tempo muito legal, mas o importante era ganhar, pela confiança dos jogadores. O clássico será muito importante, em nosso estádio e com nossa torcida. Precisamos ser fortes em casa e usar a força dessa camisa. O mais importante é ser forte em casa, contra o Palmeiras ou qualquer outra equipe – afirmou o lateral-direito, lembrado que o São Paulo não é derrotado pelo rival no Morumbi desde 2002.

Criticado por parte da torcida, principalmente pela pouca participação ofensiva, o argentino conta com defensores na comissão técnica, que o usa como exemplo de comportamento e postura. Contratado no ano passado a pedido do compatriota Edgardo Bauza, seu técnico no San Lorenzo e comandante tricolor em 2016, o gringo admitiu que teve problemas de adaptação.

– Não foi fácil minha adaptação, é a realidade. Na Argentina, o campeonato é muito tático. Aqui, todos os times têm jogadores hábeis e atacam com muita gente. É totalmente outro estilo de jogo. Isso me custou um pouco, mas confio em mim e sei que vou evoluir a cada partida.

No Campeonato Paulista, quando o Verdão venceu o Tricolor por 3 a 0 em sua arena, Buffarini esteve envolvido no primeiro gol, marcado no finzinho da etapa inicial e fundamental para o placar. O lateral acabou desarmado na beirada do campo e o atacante Dudu chutou em seguida, da intermediária, encobrindo o goleiro Denis.

Na entrevista desta quinta, evidentemente, esse lance foi relembrado. E antes mesmo que o repórter concluísse a pergunta, Buffa tinha a resposta na ponta da língua.

– Foi uma grande virtude do Dudu. Perdi a bola no meio-campo e ele chutou rapidamente a gol. Muita gente comentou esse lance, mas perdi a bola no meio. Ele teve uma grande virtude. Mas preciso estar tranquilo e ter autocrítica, e eu tenho. Isso é importante para seguir crescendo.

Depois da entrevista, Buffarini se juntou aos outros jogadores para o treino do São Paulo, aberto aos jornalistas apenas durante os primeiros 30 minutos. A equipe volta a trabalhar na manhã de sexta-feira, no CT da Barra Funda.

Fonte: Globo Esporte

Nota do PP: como de costume, logo mais, às 22h, a entrevista na íntegra de Buffarini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*