Alguém me disse

Quando não há transparência pairam as dúvidas. Há duas semanas pedi à Assessoria de Imprensa do São Paulo que me agendasse entrevistas com os diretores executivos e com o  presidente Leco. Entre outras coisas, como se trata de algo profissional, pois são rigorosamente muito bem pagos para exercerem as funções – e notem que não quero entrar na competência, pois já expus minha opinião em editorial -, e, de acordo com o estatuto, devem cumprir horário e eu subentendo que seria comercial, gostaria de saber, então, que horário vão cumprir. Mas nesse exato momento em que estou postando isso, nenhum diretor remunerado ainda chegou para o trabalho.

E isso tem sido recorrente. Não é a primeira vez. Esperei alguns dias até ter certeza que o fato se repetiria. Talvez o horário que os diretores executivos irão cumprir seja das 10 às 19h, ou adas 11h às 20h. Não sei. Repito: se houvesse transparência não haveria a dúvida. Por que as entrevistas não são marcadas?

 

Paulo Pontes

14 comentários em “Alguém me disse

  1. Ah vá? Sério que não estão cumprindo o horário? Nossa, que novidade!!! Mas com certeza o pagamento já esta pingando!!! Caro Paulo Pontes, esperar 6 meses para resultados do trabalho é até aceitável, agora cumprir horário? Isso tem que ser no dia seguinte a contratação, ou estou errado?

  2. Acho que este Celso estava em marte e acabou de chegar.
    Parabens PP, grande trabalho como sempre.
    Precisamos precionar o Leco em suas redes sociais.

  3. Sr Paulo Pontes,
    Alguém me disse o que ?
    Estamos em Maio pouco mais de trinta dias da eleição e o senhor já vem com críticas , tenha paciência afinal tem muita coisa a ser feito principalmente no futebol a administração tem tempo , as pessoas indicadas certamente são sérias e vão ao longo do tempo trazer resultado, por favor PP!!!!

  4. Sabemos o significado de headhunter, além disso, sabemos que o nobre conselheiro já expôs o SPFC algumas vezes, inclusive com ações na justiça.

  5. O atual estágio administrativo do São Paulo FC, pode ser perfeitamente equiparado ao status de repartição pública. Mal comparando, é claro, nós, os aficionados, torcedores e associados, somos o povão e os diretores, agora profissionais, portanto, remunerados para a prestação de serviços – e das respectivas contas – estão assemelhados aos nossos políticos. Futuro cinza… nem preto, nem vermelho e nem branco.

  6. PP, se isso se confirmar, a atual diretoria está fraudando o novo estatuto, jogando no lixo tudo que prometeu, por isso, vc deveria voltar atrás na sua opinião de dar 6 meses de prazo para criticar a nova gestão, o Leco não mereceria.

  7. O novo Estatuto Social, trás teoricamente, alguns avanços importantes, que são:

    a) A criação do Conselho de Administração, similar as grandes corporações mundiais.
    A Ideia deste conselho no São Paulo F. C., foi estabelecer objetivos e metas a serem alcançadas, e através da participação dos representantes do clube e membros da sociedade, buscar a excelência para a instituição.

    b) Profissionalizar a administração.
    A profissionalização, evitaria as mudanças bruscas oriundas da politica do clube.
    Através da contratação de profissionais com notório conhecimento, teríamos continuidade na estrutura operacional do clube.

    Como em qualquer instituição, as leis, as regras são boas, agora torna-se imprescindível a implementação delas.

    O Conselho Deliberativo que eu faço parte, ainda não foi informado oficialmente dos componentes da sociedade que fazem parte do Conselho de Administração, nem quais foram os diretores contratados.
    Pelas informações que temos através da imprensa, sabe-se:
    1) O presidente da diretoria, na medida que ira dedicar-se integralmente ao SPFC, tera direito a salario, e consequentemente ocupara a vaga de um CEO,
    2) O diretor de marketing, parece ser um especialista em comunicações,
    3) Dois diretores são conselheiros,
    4) O diretor de futebol era anteriormente responsável pelo marketing.

    Esperamos que todas essas questões sejam esclarecidas na próxima reunião do conselho, pois seria inconcebível que as nomeações fossem por apadrinhamentos ou compromissos de campanha, representando o Toma lá da cá da politica, descaracterizando as premissas desse novo Estatuto Social.

    O ideal, seria a contratação de uma empresa de Headhunter, para a contratação dos profissionais da diretoria.

    Headhunter é um termo em inglês que significa, literalmente, “caçador de cabeças”.
    A função do headhunter é “caçar” os melhores profissionais do mercado em áreas executivas.
    Normalmente, são procurados por grandes empresas que pretendam contratar o profissional ideal para sua organização.

    Newton Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*