50 tons de Pato: atacante atinge marca bem ‘mais quente’ do que no rival

Alexandre Pato está a cada dia mais tricolor. Neste domingo, às 16h, diante do Rio Claro, em Rio Claro, ele completa 50 jogos pelo São Paulo, em momento que não poderia ser melhor. Artilheiro do Paulistão com seis gols e do time na Libertadores, com dois, o atacante está pintando e bordando, sepultando o passado preto e branco do Corinthians.

O Pato tricolor é superior ao alvinegro em tudo. Nos 49 jogos pelo São Paulo, foram 20 gols marcados, média de 0,408 por partida. No rival, o atacante disputou 62 jogos e fez 17 gols, média de 0,274 gols por jogo. É para deixar os corintianos vermelhos de vergonha e os são-paulinos com um sorriso branco no rosto.

O camisa 11 começa 2015 como o principal jogador do time e ainda com metade do salário pago pelo rival, que o emprestou. São Paulo e Corinthians dividem os R$ 800 mil por igual. Ou seja, o são-paulino tira sarro porque o rival paga para o jogador fazer gol pelo Tricolor. Pato também vibra, mas espera alçar voos mais altos do que a artilharia presente.

– Já joguei na Europa, disputei Champions (Liga dos Campeões). Mas hoje, a Libertadores é tudo para mim. Quando eu tinha 16 anos, por dois meses não participei daquele elenco do Internacional que foi campeão (em 2006). Agora chegou a minha hora. Quero esse título no São Paulo – afirmou o atacante, esta semana, antes de marcar dois gols contra o Danubio (URU), em sua estreia na competição sul-americana.

A boa fase de Pato se estende além dos gramados. O namoro com a atriz e modelo Fiorella Mattheis tem colorido a vida do atacante. Nas redes sociais, ele expõe o carinho pela musa loira, com postagens amorosas e fotografias. A amada retribui indo aos jogos e sendo pé-quente: Pato ainda não perdeu em 2015 quando ela vai aos jogos.

Neste domingo, chance para se isolar ainda mais na artilharia. Luis Fabiano foi poupado, mas Pato segue no time, ao lado de Alan Kardec no ataque.

A nuvem está negra para o Rio Claro. Pato tomou gosto pelo sofrimento dos adversários.

O FILME

50 tons de cinza
O título da matéria é inspirado no filme “50 tons de cinza”, adaptação do best-seller da escritora inglesa Erika Leonard James. Fala de um romance entre Anastasia Steele e o jovem milionário Christian Grey, adepto do sadomasoquismo.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*