Vitória contra ninguém, mas de importância interplanetária

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb. Fui para o Morumbi nessa segunda-feira – como o faço em TODOS os jogos do São Pasulo – ciente de que não veria um show de futebol. Aliás, esse time, pelo que mostrou até agora, não nos permite esperar apresentações de gala. Mas fui na certeza que o São Paulo venceria a partida. E como disse Jucilei, “não importa se de um ou meio a zero”. O importante era ganhar.

Vejamos: se tivesse ocorrido uma tragédia e o São Paulo perdido o jogo do Avaí, certamente hoje uma imensa crise estaria instalada no Morumbi. Uma diretoria que mal assumiu – não falo do presidente, que é reincidente – levaria nos ombros uma culpa que não tem, mas por estar “de plantão” seria levada a debelar a crise. E isso passaria, necessariamente, pela demissão de Rogério Ceni e contratação, quase de forma imediata, de um técnico que chegasse, com o campeonato em andamento, e desse um jeito nesse time.

A vitória sobre o pobre coitado do Avaí, no mínimo, afastou essa crise e devolveu o ar para Rogério e os jogadores respirarem, tirando aquele sufoco por que eles estavam passando.

Os mais céticos, por redes sociais ou mesmo no estádio, já faziam contas de que faltam 42 pontos, ou que, no jogo em que valiam seis pontos, ganhamos a parada. Vão ser negativos assim prá lá. E não vou falar que tenho otimismo cego e que acho que, depois deste jogo, o campeão voltou.

Rogério Ceni continua errando em substituições. O jogo estava controlado e o São Paulo dominava o meio de campo, quando Thiago Mendes se machucou. Entendi o viés ofensivo de Ceni ao colocar Thomas no lugar de Thiago. Mas o meio de campo se quebrou e o Avaí passou a dominar a partida. O erro só foi corrigido quando ele colocou João Schmidt em campo no lugar de Cueva. Aí voltamos a ter domínio do jogo e até chegamos ao segundo gol.

O que ficou patentado mais uma vez foi o total mau preparo físico do elenco. No primeiro tempo o time voou, criou chances, dois golaços poderiam ter saído – Pratto e Cueva -, domínio completo. Cícero espetacular, Jucilei nem se fale, Rodrigo Caio cobrindo Lugano, Thiago Mendes voando. Chegou o segundo tempo e nos sobrou Jucilei, realmente um gigante. Os demais sucumbiram ao cansaço. Isso porque só estamos jogando uma vez por semana. Algo tem que ser feito de maneira urgente para resolver essa questão física. E não me parece que possa ser outro caminho, a não ser a troca do preparador físico.

Então, para finalizar, a vitória foi sobre um simples Avaí, mas teve importância interplanetária para o momento em que vivemos. Nosso primeiro semestre acabou em três jogos. Nosso ano poderia ter acabado na segunda rodada do Brasileiro. Há os que digam que estamos em décimo primeiro lugar, dois pontos acima da zona de rebaixamento. Eu prefiro ver que estamos em em décimo primeiro lugar, mas a um ponto da zona da Libertadores, ou a três pontos do titulo.

13 comentários em “Vitória contra ninguém, mas de importância interplanetária

  1. “e arqueiro do Paraná garante vitória sobre Atlético-MG pela Copa do Brasil” sabem quem é o goleiro, nada menos que o Léo, nosso quarto goleiro emprestado ao Paraná.

  2. Eu fico puto da vida quando se fala em contratações como a de Fernando Bob, Valdivia e por aí vai, não são jogadores para serem titulares, daqui a seis meses estará dando trabalho para emprestar com meio salário pago pela gente. Antes de falar em ser campeões temos que formar um time de jogadores titulares coisa que não temos a mais de oito anos, até isso não acontecer com muita sorte pegamos a Libertadores, o resto, todo o resto é papo furado.

  3. Paulo Pontes, fa ztempo que venho falando dessa preparação fisica do São Paulo, nós passamos 2016 desse jeito.
    Um dia desses alguem la do São Paulo criticou a preparação fisica, falaram até em trocar o preparador mas, o sr RC saiu em defesa do mesmo, não da pra entender todos nos vemos o time mal preparado fisicamente sera que só RC esta certo ou tem o rabo preso com ele.
    Não deu pra entender essa.

  4. PP, o SPFC cedeu um bom jogador como o Hudson, tanto que hoje é titular em um time forte como o Cruzeiro e não vai receber nada em troca pela devolução do Neilton?

    O São Paulo contratou um lateral esquerdo reserva, o Edimar, que era 4° no cruzeiro, ganhando 3x mais que o titular (Junior Tavares), isso é verdade?

    O São Paulo vai vender o RC e ficará sem opções para esse setor, pois já vendemos o Lyanco e emprestamos o Breno, isso é planejamento?

    • 1) Na troca Hudson / Neilton não foi colocada qualquer cláusula que desfizesse o negócio se uma das partes resolvesse não ficar com o jogador. Acho bem melhor devolver o Neilton agora e se livrar dos salários do que ficar com ele, só porque o Hudson não vai voltar. Aliás, conto nos dedos quem aqui defendia o Hudson como titular, quando ele estava no São Paulo.
      2) Até onde eu sei – e posso estar enganado – não é verídica a informação de que Edimar ganha R$ 150 mil. É muito menos do que isso.
      3) Há dois anos e meio o São Paulo tenta vender Rodrigo Caio. Uma hora consegue. O Breno falhou em todos os jogos que jogou como titular. Ah! Assisti o jogo do Vasco, ele entrou no segundo tempo e falhou em dois lances. Um deles o gol do Bahia.

  5. Paulo, não assisti o jogo, mas se você diz que o time foi bem no 1º e caiu no 2º por causa do físico, a situação não é tão ruim assim, em termos de time, de treinamento.
    Agora, esse problema físico se arrasta há anos. Não resolvem.
    E não é porque fulano e ciclano saíram, os outros times estão bem preparados fisicamente com pessoas diferentes das que saíram do São Paulo.
    Leco e Pinotti que chutem a porta da comissão técnica e mandem esses preparadores embora.

  6. Dificuldades para vencer um Avaí, de Betão e Marquinhos. Sim, o Marquinhos foi nosso jogador no início desse século… O Avaí cai para a serie B. Aceito apostas…

  7. Vitória contra ninguém, mas de importância interplanetária

    Publicado em 23 de maio de 2017 por PauloPontes

    se tivéssemos um jogo entre o Avaí e o time da argentina que desclassificou são paulo da copa sul-americana , quem ganharia ?

    eu apostaria no Avaí

  8. Concordo ipsis litteris com o conteúdo do comentário. A má preparação física do time é visível a olho nu. Só cego para não enxergar. E mais, esse “detalhe”, somado a presença no time de jogadores apenas medianos, como é o caso de Marcinho, de Cícero, de Junior Tavares, Lugano, Tomaz, etc. retrata que o time deverá lutar para obter, no máximo, uma 10a. posição. O Avaí, por sua vez, com certeza será um dos 4 rebaixados para a serie B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*