Vice são-paulino duvida que Pato saia e quer comprá-lo em 2016

Tem fundamento o sonho de Roberto de Andrade em usar Alexandre Pato como moeda de troca por Carlitos Tevez caso vença a eleição presidencial do Corinthians. A diretoria do São Paulo admite que seria uma manobra permitida pelo contrato de empréstimo do atacante, mas duvida que isso venha a ocorrer de fato.

A partir de janeiro, o valor da proposta que obrigaria o São Paulo a liberar Pato – com o consentimento do próprio jogador – cai de 15 milhões de euros para 10 milhões de euros (cerca de R$ 31,5 milhões). Assim, se o valor de mercado do argentino não for considerado inferior e a Juventus aceitar ceder seu argentino – que vive grande fase -, o clube tricolor teria que cobrir a proposta para não perder o atacante.

“O São Paulo teria que empatar a proposta para ficar com o jogador. Está perfeito, o Corinthians tem todo o direito de fazer isso. O São Paulo não pode fazer nada, porque não tem condições de dar 10 milhões de euros pelo Pato, em janeiro. Em dezembro (quando vence o contrato), vamos discutir melhor. Mas, se acontecer agora, está no contrato”, admitiu o vice-presidente são-paulino, Ataíde Gil Guerreiro, em entrevista à Rádio Bandeirantes, nesta segunda-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*