Vice do São Paulo critica indicações ao Conselho e à diretoria; Leco defende

As indicações de Marcio Aith para o Conselho de Administração e Leonardo Serafim para a diretoria executiva jurídica, aprovadas pela maioria do próprio Conselho de Administração, deixaram descontente o vice-presidente do São Paulo, Roberto Natel.

Segundo ele, a primeira fere o estatuto do clube, enquanto a segunda prejudica a gestão. Natel pretende se manifestar na próxima reunião do Conselho Deliberativo, no dia 19 de dezembro.

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, defendeu as nomeações e explicou que, em sua visão, a leitura do estatuto permite que Aith herde a vaga de Raí como membro independente do Conselho de Administração – o ex-jogador passou a comandar o futebol.

Carlos Augusto de Barros e Silva (à esq.) e Roberto Natel: divergências (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Carlos Augusto de Barros e Silva (à esq.) e Roberto Natel: divergências (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Caso Aith

O segundo parágrafo do Artigo 99 do estatuto do São Paulo diz que não pode ser membro independente do Conselho de Administração aquele que tiver ocupado cargo permanente na diretoria nos últimos três anos. Aith foi diretor de comunicação e marketing entre maio e dezembro – sairá no fim do mês para assumir a campanha do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), à presidência da república.

  • Natel contesta:

– Não podemos deixar que o São Paulo vire um retrato da política do Brasil. Eu disse que vejo todas as qualificações no Marcio Aith, mas o estatuto não permite que ele assuma. Não vou aceitar, deixar por isso mesmo. Pretendo me manifestar no Conselho Deliberativo porque não podemos rasgar o estatuto dessa maneira.

  • Leco defende:

– O cargo que ele ocupou é de caráter empregatício, regido pela CLT, não tem caráter permanente. Portanto, não há restrição. Eu me baseei no meu conhecimento jurídico e em consultas que fiz.

Leco afirmou que, quando explicou isso na reunião, o ex-presidente José Eduardo Mesquita Pimenta teria concordado, mas resolveu votar em branco. Disse também que a mesma restrição não se aplicou a Júlio Conejero, membro independente do Conselho de Administração que foi diretor adjunto de futebol há dois anos, e que “cargo permanente” se restringe aos conselheiros vitalícios.

Caso Serafim

O advogado passou a ser o quinto conselheiro remunerado no São Paulo, juntamente a Elias Albarello (diretoria financeira), Rodrigo Gaspar (administrativo), Eduardo Rebouças (infraestrutura) e Edson Lapolla (gerência do marketing).

  • Natel contesta:

– O estatuto pede profissionalização, mas ao nomear conselheiros você tem o foco mais na política do que na gestão. Com profissionais de fora, a meta seria colocar o São Paulo lá em cima, no topo, porque daqui a três anos vem nova eleição. Mas dessa forma só se faz política.

  • Leco defende:

– A diretoria jurídica passou por uma reestruturação, mas teve na figura do Leonardo Serafim um ponto fundamental de trabalho, que tem apresentado resultados importantíssimos para o São Paulo. O estatuto admite que eu possa ter diretores executivos de fora do clube, mas não determina isso. Eu nem tenho orçamento, hoje, para trazer bons executivos do mercado.

O presidente do São Paulo afirma que o próximo diretor de marketing não será conselheiro. A pasta, antes ocupada por Aith, será desmembrada em duas: uma de comunicação e outra de marketing.

Fonte: Globo Esporte

Nota do PP: não vou entrar no mérito, mas apenas quero lembrar que lá atrás, menos de um mês após a eleição, eu disse que a diretoria já estava rachada e que Roberto Natel, vice-presidente eleito, trabalhava como opositor. Fui criticado por muitos conselheiros e diretores por isso. O próprio Natel me ligou dizendo que estava com o Leco até debaixo d’água. As evidências estão aí e são indiscutíveis.

14 comentários em “Vice do São Paulo critica indicações ao Conselho e à diretoria; Leco defende

  1. Leonardo Serafim, ex-diretor jurídico da gestão Carlos Miguel Aidar, foi responsável por redigir e avalizar aquele OBSCURO contrato entre o SPFC e a Far Easy(Empresa do Famoso Filantropo JACK).

  2. O Natel me parece correto.

    O leco tá se apegando ao sentido estrito dos artigos do estatuto pra justificar a escolha do Aith e do Serafim. Acontece que o objetivo do estatuto é a profissionalização do spfc. Assim é óbvio que o certo é a contratação de profissionais do mercado e não de aliados políticos. O torcedor não é idiota.

    Quando da eleição o leco se comprometeu com o SPFC a colocar o estatuto em prática da MELHOR forma, precisa honrar sua promessa.

  3. O tal de Marcio Aith, não somou nada ao São Paulo, pelo contrario perdeu os patrocínios master e outros meia bocas , não trouxe nem um centavo ao clube no período em que recebeu salários altos, não apresentou ate hoje o caso Cimermam que roubou o São Paulo e ate agora cadê o resultado do inquérito.
    Pois bem este Leco é uma merda administrativa mesmo, pelo amor de Deus peça demissão, suma dai.

    • Vou entrar aqui para uma explicação: o caso Alan Cimerman está na esfera policial e vai ter um desfecho. Estou acompanhando o caso bem de perto. Se nada foi falado até agora é porque as investigações ainda não chegaram ao fim. Perceba que recentemente eu publiquei uma matéria exclusiva, falando que o show do Vila Mix também tinha virado caso de polícia. Foi anexado ao outro e ganhou novos contornos. Por isso até agora nada foi falado.

  4. Cinco “tetinhas” disponibilizadas para cinco conselheiros. Leite farto para ajustar e solucionar os problemas pessoais e financeiros de alguns conselheiros.

    • Perfeito, Waldir.Todos mamando nos generosos úberes tricolores, e o pior é que vários deles não tem competência e nem capacidade para exercerem o cargo.Vide, Rodrigo Gaspar que tinha como experiência profissional a admiração de empresa de segurança patrimonial com sede em um sobrado em Osasco e, que dizem, sequer ter formação superior.
      Além disso, eu pergunto:
      Quem é Edson Lapolla no Mundo do MKT????

  5. Pimenta, Leco, Natel, pqp, sempre os mesmos nomes, não aparece nada novo, quando a política do clube irá respirar? Na próxima eleição sai Leco, entra Pimenta ou Natel, não mudará nada.

  6. Leco violentando o estatuto? Nenhuma novidade.

    Por pior que Roberto Natel seja, ele está certo. A profissionalização no São Paulo é puramente “de fachada”. Márcio Aith, em respeito ao São Paulo, não deveria aceitar o cargo. Além do que a única coisa que fez foi abaixar os ingressos. Pra isso, não precisava receber o que recebeu.

    Não repreender, não criticar Leco por seu absolutismo é mais contraproducente do que fingir que nada acontece, o que, no fundo, é uma forma caricata de apoio.

    No mais, boa notícia a separação da Comunicação do Marketing. Ambos tem que trabalhar em conjunto, mas exigem profissionais com características e experiências bem distintas.

  7. Ele é tão canalha que no texto fala que não tem dinheiro para contratar executivos de ponta
    Então só tem desqualificado trabalhando no São Paulo
    Pegou a escória que tava falida ,quebrada e sendo assim vão dizer amém pro mestre
    deixando ele livre e solto pra fazer as cagadas que lhe é peculiar
    e algumas cositas mais

  8. A questão não é se está ou não rompido com Leco. O Estatuto não permite, isto é bem claro e não dá margem a outra interpretação.

    Qual sua opinião a respeito? Negociar jogador sem o conhecimento do diretor de futebol não é ilegal mas é imoral. e Rasgar o Estatuto do Clube, não seria ilegal e imoral?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*