Vereador Aurélio Miguel recebeu dinheiro, diz auditor

O auditor fiscal Eduardo Horle Barcellos, investigado pelo desvio de 500 milhões de reais da prefeitura de São Paulo, afirmou em depoimento ao Ministério Público Estadual que o ex-subsecretário da Receita Municipal Ronilson Bezerra Rodrigues entregava dinheiro ao vereador Aurélio Miguel (PR). A declaração consta do termo de delação premiada assinado ontem por Barcellos.

Segundo o promotor que investiga o caso, Roberto Bodini, o auditor não deu detalhes sobre valores nem a origem do dinheiro. “Isso é uma conversa do Barcellos com o Ronilson. Ele diz isso para o Barcellos, que dava dinheiro para o Aurélio Miguel. Não fala valores e não fala o motivo e nem a data.”

Na conversa relatada por Barcellos ao promotor, ele diz ter ouvido Ronilson se queixar do excesso de telefonemas que recebia do vereador e questionou o colega sobre o motivo das ligações. “Isso [os telefonemas] estaria registrado e então ele [Ronilson] pretendia mudar o número do celular. O Barcellos perguntou qual a razão dessa quantidade de ligações e o Ronilson teria falado que dava dinheiro para o Aurélio Miguel. Não falou quanto e nem quando, mas disse que dava dinheiro”, afirmou o promotor.

Donato – No mesmo depoimento, que durou oito horas, Barcellos disse que pagou 20 000 reais, mensalmente, de dezembro de 2011 a setembro do ano passado, ao ex-secretário de Governo da cidade, Antonio Donato, para financiar a campanha do petista a vereador em 2012. Donato nega ter recebido os recursos.

Nomeado para a Secretaria de Governo após a eleição de Fernando Haddad (PT), Donato era um dos homens fortes da gestão até a tarde desta terça-feira, quando teve de deixar o cargo após novas denúncias citarem suas relações com os fiscais suspeitos de desviarem recursos do Imposto Sobre Serviços (ISS). Ele também foi coordenador da campanha de Haddad e era o elo da administração municipal com o PT.

O pagamento a Donato, de acordo com o fiscal, foi feito como “investimento futuro”, ou seja, a promessa de assumir cargos de confiança numa futura gestão de Haddad. Após ser preso, Barcellos foi exonerado do cargo de diretor do Departamento de Arrecadação e Cobrança. O fiscal repassou números de telefones que, segundo ele, eram usados para falar com o vereador petista na época.

Nesta segunda-feira, a Corregedoria Geral do Município determinou a abertura de uma sindicância para apurar a ligação entre Donato e os auditores fiscais investigados. Segundo a prefeitura, Donato prestou depoimento ontem. Nesta terça, ele apresentou seu pedido de demissão a Haddad, que aceitou. O nome do substituto ainda não foi divulgado.

Denúncias – Barcellos trabalhou três meses na equipe de Donato. O nome do vereador e agora ex-secretário municipal também apareceu em escutas autorizadas pela Justiça como suposto beneficiário de 200 000 reais do esquema de propina para sua campanha a vereador em 2008, o que ele nega. Integrantes do governo municipal pressionaram para que ele deixasse logo o cargo para minimizar o desgaste de Haddad.

Desde a semana passada, cresceu no PT e na cúpula da administração municipal a avaliação que o escândalo respingou na própria gestão. Além disso, tanto Lula quanto a presidente Dilma Rousseff temem que o desgaste constante do governo Haddad – já chamuscado pelo aumento do IPTU – tenha impacto negativo nas eleições do próximo ano. Hoje, o principal objetivo do PT é justamente tentar desalojar o PSDB do governo estadual e alavancar a candidatura à reeleição de Dilma no maior colégio eleitoral do país.

 

 Fonte: Veja

3 comentários em “Vereador Aurélio Miguel recebeu dinheiro, diz auditor

  1. Politicos, isso e o verdadeiro cancer do Br.
    Nao produzem nada que presta em favor da populacao,
    e ainda pagamos um absurdo,
    pra mante-los no poder.
    Todos, nao salva ninguem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*