Único paulista vivo na Libertadores, Tricolor contém empolgação

A Copa Libertadores da América 2016 começou em fevereiro com o “Trio de Ferro” do futebol paulista gerando expectativa por boas campanhas. Quatro meses depois, apenas o São Paulo, aquele que menos investiu em contratações dentre os três clubes, segue com chances de título na competição continental.

O clima de empolgação, no entanto, passa longe do Morumbi, segundo o volante Wesley. “A resposta só vem com o título. Não adianta a gente ter passado mais, e morrer no caminho. O que a gente pensa é no título, porque vai marcar o trabalho de todos, desde a pré-temporada, é o que a gente pensa. Sem pensar nessa situação de único paulista, dois brasileiros. Só vamos coroar com o título”, apontou.

Após se reforçar com oito jogadores no início do ano, o Palmeiras, que teria gasto R$ 13 milhões só na contratação do atacante Erik, sequer passou da fase de grupos, caindo em uma chave com os uruguaios Nacional e River Plate, além do Rosario Central, da Argentina. O Corinthians, por sua vez, classificou-se como a terceira melhor campanha geral do torneio, mas sofreu eliminação para o mesmo Nacional nas oitavas de final, a quinta em Itaquera em um período de pouco mais de um ano.

Já o Tricolor começou mal o torneio, mas se recuperou e, após despachar o Toluca-MEX na última quarta-feira, enfrentará o Atlético-MG, o outro remanescente brasileiro na competição, nas quartas de final.

Questionado se o São Paulo virou um azarão pelo início ruim na Libertadores, já que não venceu nenhum dos três primeiros compromissos, Wesley rejeitou tal rótulo. “Para quem está fora pode ser, mas para nós que trabalhamos nem entra em pauta. Tem todo um planejamento e a gente sempre pensa no melhor. É o que tem acontecido agora, e queremos mais, pode ter certeza que vamos trabalhar para melhorar”, garantiu o camisa 19.

O volante é um dos símbolos da recuperação do Tricolor na competição. Nos jogos em que a equipe teve de enfrentar a altitude, como o de La Paz, contra o The Strongest, e o de Toluca, no México, Wesley foi titular no time de Edgardo Bauza para dar mais vigor físico ao São Paulo, deixando Paulo Henrique Ganso no banco de reservas.

No Morumbi desde 2015, o jogador ainda falou sobre o bom retrospecto de técnicos argentinos na Libertadores e o fato de ser dirigido por um deles, o bicampeão “El Patón”. “Não tem muita regra, mesmo com esse retrospecto favorável aos argentinos. O que importa é o trabalho. E o professor está fazendo um grande trabalho, tomara que seja premiado. A diferença é quando ganha, quando tem resultado. Mas se ele é argentino, tomara que dê certo”, finalizou.

Na última sexta-feira, a Conmebol anunciou os dias e horários dos jogos válidos pelas quartas de final da Libertadores. Os dois remanescentes brasileiros se enfrentam nas duas próximas quartas-feiras, dias 11 e 18, às 21h45 (de Brasília). A primeira partida será no Morumbi, e a volta acontece no Independência, em Belo Horizonte.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.