Tricolor aposta em veto de Pato para conseguir desconto em negociação

O São Paulo sonha contratar o atacante Alexandre Pato em definitivo, mas não está  está disposto a pagar R$ 30 milhões, valor dos direitos a partir de janeiro de 2015. O camisa 11 está emprestado até o final da próxima temporada e, segundo o vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro, somente em janeiro de 2016 é que começará a negociação com o Corinthians.

– Deixa eu avisar uma coisa para o torcedor não criar falsas expectativas. Todo mundo sabe que a situação atual não permite ao São Paulo desembolsar esse valor para contratar o Pato. Ele tem contrato de empréstimo até o final de 2015 e só daqui 14 meses vamos discutir esse assunto com o Corinthians – afirmou o dirigente.

A estratégia tricolor é a seguinte: ao final do empréstimo, Pato terá apenas mais um ano de contrato com o Corinthians. Passados seis meses, ele poderá assinar um pré-contrato com qualquer equipe. Ou seja, ou o Alvinegro abre negociação por um valor menor ou corre o risco de perder o jogador de graça, anos depois de ter desembolsado R$ 40 milhões para contratá-lo.

O Corinthians tem a opção de tentar repassar o jogador nas janelas de transferência do próximo ano, caso apareça algum clube disposto a pagar os R$ 30 milhões estipulados em contrato – e o atleta teria de deixar o Tricolor imediatamente. Só que, para o negócio ser efetivado, Pato precisa aceitar a transferência. Ele tem poder de veto. Essa é a aposta dos cartolas do Tricolor: Pato se sente bem no São Paulo, vive boa fase, tem sido constantemente elogiado pela comissão técnica e aplaudido pelo torcedor.

E, mesmo que Pato aceite, o São Paulo, por contrato, teria a possibilidade de igualar a proposta e ficar com o atleta. Somente neste último caso é que o Tricolor estudaria uma maneira de pagar a bolada. Na última janela, Internazionale e Galatasaray manifestaram interesse, mas nenhuma proposta chegou ao Parque São Jorge.

Em sua última entrevista, o jogador abriu o desejo de permanecer no clube do Morumbi e até disse que o fator financeiro não seria empecilho para acertar um novo vínculo.

– Estou muito feliz aqui. Não sei o que vai acontecer no futuro. Mas, quem não gostaria de permanecer no São Paulo? Eu quero ficar. Para voltar ao Brasil, já abaixei bem o valor que recebia. Dinheiro não será problema – disse.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*