Treinador confirma São Paulo com losango por falta de alternativa

“Não adianta querer jogar com três atacantes se não tenho as peças para jogar dessa forma”, disse o técnico Ney Franco, nesta terça-feira, ao explicar o porquê do esquema tático com losango no meio-campo e confirmar sua utilização nos primeiros compromissos do São Paulo na temporada.

Até o fim do ano, o elenco contava com dois jogadores de velocidade para atuar pelas pontas: Osvaldo, pela esquerda, e Lucas, pela direita. Devido à não reposição do segundo, que se transferiu para o Paris Saint-Germain, o desenho em 4-2-3-1 ficou prejudicado. Até se tentou improvisar Jadson na direita no primeiro ensaio da pré-temporada, porém o meia não se achou por ali.

A solução encontrada foi deslocar Jadson para a esquerda, em lado oposto ao de Denilson, que passou a deixar Wellington como único volante à frente da dupla de zaga. No vértice mais agudo do losango, o responsável por abastecer Osvaldo e Luis Fabiano é Paulo Henrique Ganso.

“Percebi que seria melhor mudar o posicionamento do meio-campo. Por isso fiz a troca, e acho que a formação vai ficar muito forte, muito ofensiva. Temos um atacante de velocidade e outro de área, além de dois meias que sabem chegar ao ataque, com liberdade de apoio para os laterais, e a chegada dos volantes de surpresa”, disse o treinador.

“O time está se ajustando posicionada em losango. É a forma como fui campeão mineiro com o Ipatinga, em cima do Cruzeiro, no Mineirão. Se vierem atacantes, podemos ter uma variação”, completou Ney Franco, lembrando título estadual de 2005.

O primeiro teste com o novo esquema foi na goleada por 9 a 1 sobre o Grêmio Barueri, em jogo-treino disputado no sábado, em Cotia. Na manhã desta quarta-feira, a três dias da estreia no Campeonato Paulista – contra o Mirassol, no Morumbi –, a equipe faz o último amistoso da fase de preparação ao enfrentar o Red Bull.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*